Produção da cana-de açúcar se recupera e safra deve chegar a 572,9 milhões de toneladas

Compartilhar

#souagro| A produtividade da atual safra de cana-de-açúcar começa a mostrar recuperação, após dois ciclos de adversidades climáticas. O aumento de 1,6% na média nacional no rendimento das lavouras do país é um contraponto para a redução de 2,6% na área de cultivo. Com isso, a produção deve chegar a 572,9 milhões de toneladas de cana, uma ligeira queda de 1% se comparada com o ciclo anterior, como indica o segundo levantamento da safra 2022/23 divulgado nesta sexta-feira (19) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Se na temporada 2020/21 o desenvolvimento da cultura foi influenciado pela falta de chuvas e no ciclo 2021/22, além da estiagem, foram registradas fortes geadas em importantes regiões produtoras, na safra 2022/23 as condições climáticas foram mais favoráveis. De acordo com o documento, os agricultores deverão colher nesta safra 70.484 quilos por hectares colhidos. No ciclo de 2021/22, a produtividade esteve estimada em 69.355 quilos por hectare. Já em 2020/21 o desempenho das lavouras ficou em torno de 70.357 quilos por hectare, valor muito próximo ao esperado para a atual temporada.

 

A melhora no desempenho é impulsionada por um maior índice registrado principalmente nas regiões Nordeste e Centro-Oeste, esta última com destaque para Goiás, além de Minas Gerais com variações positivas para as regiões de 6% e 3,5% respectivamente, enquanto os estados registraram elevação de 3,8% e 3,2%. Em São Paulo, principal estado produtor, e Paraná, por exemplo, o desempenho das lavouras ainda reflete o clima adverso das últimas temporadas.

A recuperação da produtividade desacelera a queda na produção, uma vez que a Conab espera uma nova redução na área. Se em 2020/21 foram destinados cerca de 8,6 milhões de hectares, na safra passada a área ocupada ficou em 8,3 milhões de hectares. Já neste ciclo, há uma nova diminuição, com estimativa de 8,1 milhões de hectares.  Essa diminuição é explicada pela competitividade com grãos como milho e soja, que atualmente apresentam boa rentabilidade para o produtor, aliada às lavouras de reforma que tiveram o corte inviabilizado pelas condições climáticas.

 

Subprodutos

Com a queda na colheita de cana, a Conab espera um menor volume produzido tanto para o açúcar como para o etanol. De acordo com o levantamento, a produção de açúcar está estimada em aproximadamente 33,9 milhões de toneladas, diminuição de 3% quando comparado com 2021/22.

No caso do etanol, é estimada uma produção de cerca de 25,83 bilhões de litros do combustível a partir da cana, redução de 2,2%. Em contrapartida, o etanol proveniente do milho continua em expansão. Nesta safra, é esperado mais de 4,5 bilhões de litros produzidos, um aumento de 30% em relação à temporada anterior.

Mercado

A valorização do real frente o dólar e o aumento das incertezas sobre a economia mundial, o que gera preocupação em relação ao consumo e maior volatilidade nos preços, estão entre os motivos que explicam o menor volume exportado de açúcar.

De acordo com dados do Ministério da Economia (ME), as exportações brasileiras do produto chegaram a 8,1 milhões de toneladas no acumulado de abril a julho de 2022, redução de 14,6% na comparação com igual período do ciclo anterior. Apesar da queda no volume embarcado, o valor dessas exportações alcançou cerca de US$ 3,2 bilhões, representando um leve aumento de 0,7% na comparação com igual período do ano passado.

 

Em relação ao etanol, o Brasil exportou cerca de 607,8 milhões de litros no acumulado dos quatro primeiros meses da safra 2022/23 (abril a julho), segundo o ME. O volume corresponde a uma queda de 10,7% na comparação com igual período da safra passada. Assim como no caso do açúcar, essa redução é influenciada pela desvalorização do dólar em relação ao real, além da estimativa de queda na produção. Os preços domésticos em patamares elevados no começo da temporada também limitaram a exportação do etanol brasileiro.

(Débora Damasceno/Sou Agro com Conab)

(Foto: reprodução internet)

Compartilhe em suas redes sociais:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.