De olho na cigarrinha: técnicos chegam ao Oeste para avaliar lavouras de milho

Compartilhar

#souagro| Uma preocupação constante dos produtores de milho é a cigarrinha, nesta safra a gente vem acompanhando praga veio com ainda mais força. O portal Sou Agro vem trazendo muitas informações sobre o assunto, inclusive conversamos com um especialista que explicou o motivo desse aumento de destruição nas lavouras, para ver a reportagem é só clicar AQUI.

A situação realmente está crítica, tanto que entidades se uniram para fazer um levantamento nas lavouras do Oeste paranaense. Técnicos da Embrapa, Mapa, IDR-PR e Adapar vão visitar durante esta semana várias propriedades rurais que estão sofrendo com enfezamentos causados pela cigarrinha.

ASSISTA O VÍDEO:

 

 

Os técnicos vão passar por propriedades em Palotina, Nova Santa Rosa e Marechal Cândido Rondon. A vinda destes profissionais foi viabilizada por meio de recursos do Sindicato Rural Patronal de Marechal Cândido Rondon junto com o Sindicato dos trabalhadores rurais.

Na sexta-feira (13) os técnicos se reúnem para apresentar o que foi encontrado nas lavouras e também mostrar o que pode ser feito com relação a isso.

 

A ideia deste trabalho é compreender melhor o avanço da doença e fornecer mais informações para que a pesquisa possa orientar os produtores rurais quanto ao manejo correto do problema fitossanitário, reduzindo assim o uso de inseticidas para o controle do inseto vetor do enfezamento,  que é a cigarrinha Dalbulus maidis.

DIFICULDADES NA PRODUÇÃO DO MILHO

Nos últimos anos o produtor rural no geral tem enfrentado muitas dificuldades, no cultivo do milho não é diferente. São muitos desafios, um deles foi a estiagem, que prejudicou o desenvolvimento da primeira safra da cultura, semeada nos meses de setembro e outubro de 2021. Já a atual, chamada de segunda safra, que é a maior em área plantada e produção, tem contado com condições climáticas mais favoráveis ao desenvolvimento. Entretanto, o ataque das pragas, em especial a cigarrinha, pode se tornar um fator limitante para a quantidade e a qualidade da produção dessa cultura.

 

PROBLEMAS DA CIGARRINHA PARA O MILHO

Os enfezamentos do milho são causados por bactérias pertencentes à classe dos Mollicutes, que são transmitidas pela cigarrinha-do-milho. O espiroplasma causa o enfezamento pálido, enquanto o fitoplasma causa o enfezamento vermelho. As doenças são vasculares e sistêmicas: os mollicutes se concentram no floema da planta, estrutura responsável pela circulação da seiva elaborada (composta por nutrientes), obstruindo-o e causando desordens fisiológicas, nutricionais e bioquímicas nas plantas de milho.

Os sintomas das doenças são mais severos na fase de produção, polinização e formação dos grãos, quando o metabolismo da planta se intensifica. O momento exato da ocorrência vai depender da época em que a planta foi infectada, da cultivar de milho utilizada e das condições ambientais (em períodos mais quentes, o metabolismo da planta é mais intenso).

(Débora Damasceno/Sou Agro)

Compartilhe em suas redes sociais:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.