ESPECIAIS

Anvisa vai reavaliar suspensão do uso de defensivo muito comum no Brasil; saiba como será

Compartilhar

#souagro| Em junho nós falamos aqui no Sou Agro que a Anvisa suspendeu cauterlamente o Carbendazim. A medida cautelar prevê o fim da importação, produção, distribuição e comercialização do produto que é um defensivo muito usado por agricultores brasileiros no combate a fungos que atacam plantações de feijão, arroz, soja e de outras culturas agrícolas.

Agora os diretores da Anvisa vão decidir na próxima semana se a proibição será mantida, isso acontece por conta por de uma decisão judicial, que visa cumprir com a determinação proferida nos autos da Ação Civil Pública em trâmite na 6ª Vara Regional Federal/DF, para que a Anvisa proceda ao integral cumprimento da tutela de urgência, qual seja, a conclusão da reavaliação do ingrediente ativo Carbendazim no prazo de 60 dias, contados a partir do dia 10/6/2022.

 

 

Sendo assim, os diretores da agência irão se reunir na segunda-feira (8/8), às 10h30, para realização da 12ª Reunião Extraordinária da Diretoria Colegiada de 2022 com a pauta de avaliação da Proposta de Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) que dispõe sobre a proibição do ingrediente ativo carbendazim em produtos agrotóxicos no país e sobre as medidas transitórias de mitigação de riscos.

 

 

Destaca-se que a Agência iniciou o processo de reavaliação toxicológica do ingrediente ativo carbendazim em 2019, por conta das suspeitas de mutagenicidade, de carcinogenicidade, de toxicidade reprodutiva e de toxicidade para o desenvolvimento.

Apesar do processo regulatório do carbendazim estar dentro do prazo determinado pelas Boas Práticas Regulatórias, há, no momento, decisão judicial a ser cumprida, o que impôs à Anvisa celeridade na conclusão do processo.

 

A proposta de RDC a ser deliberada pela Anvisa no próximo dia 8 de agosto é resultado da avaliação técnica conduzida por especialistas da Agência, com base nas evidências científicas mais atuais sobre o referido ingrediente ativo. Além dos estudos publicados sobre a substância em questão, a Anvisa também analisou uma série de dados nacionais sobre agrotóxicos. Por fim, a proposta de norma contempla as contribuições recebidas durante a Consulta Pública, que ocorreu com prazo reduzido, entre os dias 27 de junho e 11 de julho de 2022, devido à necessidade do cumprimento da ordem judicial.

Todas as contribuições técnicas recebidas durante o período da Consulta Pública, assim como as informações resultantes das diligências aos órgãos consultados (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Embrapa, Ibama e Ministério da Saúde), foram analisadas e detalhadamente discutidas.

 

Portanto, a minuta de Resolução a ser deliberada contempla o resultado da análise das contribuições, além das informações provenientes dos órgãos consultados, e inclui as medidas de redução de risco necessárias à proteção da saúde da população.

(Débora Damasceno/Sou Agro com Anvisa)

 

(Foto: reprodução internet)

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.