ESPECIAIS

Rússia diz que acordo sobre liberação de grãos da Ucrânia pode entrar em colapso; saiba o motivo

Compartilhar

#souagro| Nós falamos aqui no Sou Agro que na última sexta-feira (22) o acordo para retomada de exportações de grãos da Ucrânia foi assinado. Mas nos últimos dias alguns fatores tem gerado preocupação sobre o andamento desse acordo. Um deles foi o ataque russo ao porto de Odessa, na Ucrânia, onde estão guardadas milhões de toneladas de grãos.

Mas outro fator pode atrapalhar o andamento dessa retomada, é que nesta quarta-feira (27) o vice-chanceler russo, Andrei Rudenko, disse que um acordo mediado pela Turquia para desbloquear as exportações de grãos ucranianos no Mar Negro pode entrar em colapso se os obstáculos às exportações agrícolas da Rússia não forem removidos imediatamente, informou a Interfax.

 

A Interfax citou Rudenko dizendo que os embarques de grãos da Ucrânia começariam em breve, e ele esperava que o acordo de grãos se mantivesse. A sede que supervisiona as exportações de grãos ucranianos deve ser inaugurada em Istambul, após um acordo histórico da ONU na semana passada, e um alto funcionário turco disse que o primeiro navio provavelmente deixará os portos do Mar Negro em alguns dias.

 

RETOMADA DA EXPORTAÇÃO DE GRÃOS AMEAÇADA

Mesmo após os ataques, a Ucrânia mantém esforços para retomar as exportações de grãos nos portos do Mar Negro sob um acordo destinado a aliviar a escassez global de alimentos, mas alertou que as entregas pode ser prejudicadas, caso mais mísseis russos atinjam Odessa.

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, denunciou o ataque ao porto como uma “barbárie” que mostrou que não se pode confiar em Moscou para implementar um acordo selado apenas um dia antes com mediação da Turquia e da Organização das Nações Unidas (ONU).

 

Militares ucranianos, citados pela emissora pública Suspilne, disseram que os mísseis russos não atingiram a área de armazenamento de grãos do porto nem causaram danos significativos. Kiev disse que os preparativos para retomar os embarques de grãos estão em andamento: “Continuamos os preparativos técnicos para o lançamento das exportações de produtos agrícolas de nossos portos”, disse o ministro da Infraestrutura, Oleksandr Kubrakov, em uma publicação na internet.

Segundo os militares ucranianos, dois mísseis Kalibr disparados de navios de guerra russos atingiram a área de uma estação de bombeamento no porto e outros dois foram abatidos pelas forças de defesa aérea. A Rússia disse que suas forças atingiram um navio de guerra ucraniano e um armazém de armamentos em Odessa com mísseis de alta precisão.

 

O ACORDO

O acordo assinado por Moscou e Kiev na sexta-feira (22) foi saudado como um avanço diplomático que ajudaria a conter a disparada global dos preços dos alimentos, restaurando os embarques de grãos ucranianos para 5 milhões de toneladas por mês, nível anterior à guerra. Mas o assessor econômico de Zelenskiy alertou hoje que o ataque a Odessa sinalizava que isso poderia estar fora de alcance. Oleh Ustenko disse que a Ucrânia pode exportar 60 milhões de toneladas de grãos nos próximos nove meses, mas caso as operações de seus portos sejam afetadas, isso levaria até 24 meses.

(Débora Damasceno/Sou Agro com informações de agências e da Reuters)

 

(Foto: Reuters)

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.