ESPECIAIS

Combate a entrada de gado ilegal no Brasil é foco de operação

Compartilhar

#souagro| A entrada ilegal de gado no Brasil esteve na mira da Operação Ágata realizada na região de fronteira com a Bolívia.

Fiscais do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea-MT) participaram de ação conjunta com o Exército Brasileiro e a Polícia Militar na noite de segunda-feira (18.07) até a manhã desta terça-feira (19.07).

 

A ação de vigilância ainda contou com uso de um drone para evitar a entrada ilegal de gado boliviano no país. Segundo o coordenador de Fiscalização e Julgamento de Processos do Indea, Márcio Adélio de Carvalho, controlar a entrada de animais sem procedência sanitária pela fronteira tem sido um desafio, o que coloca em risco a saúde animal do rebanho mato-grossense e o status sanitário de Mato Grosso, causando prejuízos econômicos como consequência da suspensão das exportações, por exemplo. A maior parte da entrada desses animais no país é durante a noite.

O Exército Brasileiro, por meio do Comando da 13ª Brigada, já se colocou à disposição para apoiar o Indea não apenas no período da Operação Ágata, mas no ano todo em ações de vigilância.

 

Da mesma forma, a Polícia Militar e o Grupo Especial de Fronteira (Gefron) também têm sido parceiros da fiscalização sanitária no Estado.

“Agradecemos o Exército e a PM ao dar condições de realizarmos as atividades de forma mais tranquila possível. Com esse apoio das forças de segurança vamos implementar as atividades noturnas para fiscalização e vigilância na fronteira, garantindo maior segurança ao rebanho mato-grossense”, disse o coordenador Márcio Adélio.

(Débora Damasceno/Sou Agro com Governo do MT)

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.