Geada e temperaturas negativas devem marcar a próxima semana

Compartilhar

#souagro| Para o produtor rural, a previsão de geada na semana que vem é uma grande preocupação. Segundo os meteorologistas, há mudanças diárias nas previsões, mas dificilmente haverá uma grande alteração sobre a ocorrência de temperaturas negativas.

Segundo o Inmet, uma forte e extensa massa de ar frio atingirá o Brasil a partir de domingo (15) provocando acentuada queda de temperatura em diversas regiões. A partir do dia (16), a massa de ar frio se desloca rapidamente pelo Sul avançando para áreas das regiões Centro-Oeste e Sudeste e, durante à noite, chega aos estados de Rondônia e Acre, causando o segundo episódio de friagem. O meteorologista do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), explicou qual é a expectativa sobre essa previsão da próxima semana.

ASSISTA O VÍDEO:

 

 

Geada

A tendência é de condições favoráveis à formação de geada na Região Sul no período de 17/05 a 22/05. No sul do Mato Grosso do Sul, de 17/05 a 21/05 e, em áreas isoladas de São Paulo e sul de Minas Gerais, entre os dias 18/05 e 22/05. As geadas poderão ser fortes em alguns pontos da Região Sul e, atualizações nos próximos dias serão essenciais para definição de local e intensidade.

A figura abaixo apresenta a tendência de risco de formação de geada para a manhã do dia 19/05. Áreas em vermelho indicam previsão de risco de geada forte, amarelo indica risco de geada moderada e, em azul, áreas com previsão de geada fraca.

GEADA

“É a entrada de uma massa de ar polar bastante intensa pelo menos essa é a expectativa que vai fazer com que as temperaturas caiam a valores bastante baixos, próximos a zero grau ou até mesmo temperaturas negativas em algumas áreas e isso vai levar a ocorrência de geadas em alguns pontos. Principalmente a partir do dia 17, 18. Sendo que algumas áreas a gente tem chance ainda é de precipitação invernal. Ou seja, aquelas pode ocorrer uma chuva congelada, uma possibilidade de neve muito remota, mas não dá pra descartar. Em áreas principalmente áreas mais elevadas como ali na na serra catarinense
no Planalto Sul e também na região sul do Paraná a gente não descarta essa possibilidade”, detalha o meteorologista.

A previsão de geada é para a semana toda, inclusive há regiões do Paraná onde não costuma ficar tão frio que a geada também deve chegar: “O mais preocupante nesse momento é realmente a questão das geadas que deve permanecer durante a semana que vem praticamente toda, em boa parte da região sul. Falando especificamente do Paraná, vai atingir quase todas as áreas, até mesmo na região do Norte do Paraná a gente pode ter principalmente lá no dia 17, 18 até 19 um risco de geada, que a gente sabe que não que é uma área de bastante ocupação agrícola, que é preocupante assim como também a região Oeste”, explica Rogerio.

 

Sobre a mudança da previsão, ela pode sim ocorrer, mas nada que acabe com a possibilidade das baixas temperaturas: “Em meteorologia a gente tem que fazer o monitoramento e acompanhamento. Pode mudar? Pode. É muito difícil que mude a questão de que entra uma massa de ar polar. O que pode mudar é que ela atinge uma área menor do que está previsto, mas também podem ser maiores. Mas a princípio a gente tem talvez a primeira grande massa de ar polar do ano”, detalha o meteorologista.

Sobre o período da geada, de acordo com a meteorologia, não há nada fora do normal com essa previsão de queda nas temperaturas: “A partir do momento que a gente tem ingresso de massas de ar de origem polar a gente já pode considerar que estamos dentro do inverno. Isso meteorologicamente falando, portanto aí não vejo precocidade, a gente já está praticamente na metade de maio, isso pode ocorrer. A gente pode ter esse essas quedas bastante acentuadas de temperatura, tudo dentro da normalidade, não há nenhum fator anormal no que a gente está prevendo aí pros próximos dias. Para nós meteorologistas é mais uma massa de ar polar que está começando a caracterizar a época de inverno. Nada mais do que isso. Claro que a gente sabe que para população em geral, nosso produtor agrícola, enfim, ela afeta de uma maneira mais profunda, prejudicando e a gente se preocupa com isso. Agora de anormalidade não, ela está dentro da normalidade sim”, explica Rogerio.

O que é a geada?

Do ponto de vista agrometeorológico, a geada é um fenômeno causado pela ocorrência de baixas temperaturas que promovem o congelamento dos tecidos vegetais, havendo ou não a formação de gelo, e provoca a morte das plantas ou de suas partes (folhas, ramos, A geada pode ser ocasionada tanto por entradas de massas de ar frio, quanto por um intenso resfriamento da superfície, durante noites de céu limpo e sem vento. Além disso, seu efeito nas plantas varia de acordo com a espécie, a sua tolerância ao frio e a fase fenológica que ela se encontra e sua ocorrência resulta, em muitas vezes, em severos prejuízos econômicos principalmente se ocorrem precoce ou tardiamente.

Neve

Há a possibilidade de ocorrência de neve nas serras Gaúcha e Catarinense entre a noite do dia 16 e a madrugada do dia 18/05.

(Débora Damasceno/Sou Agro)

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.