“Vai ser muito prejuízo para o milho”, diz agrometeorologista sobre previsão de geada

Compartilhar

#souagro| Se tem algo que preocupa o produtor rural nos últimos anos, é a condição climática. A gente acompanhou as perdas de safras causadas pela geada, seca e granizo. E essa instabilidade gera muitas incertezas ao produtor rural.

Agora a preocupação se volta para a previsão de geada, segundo o engenheiro agrônomo Ronaldo Coutinho, ela chega ao Sul do país na próxima semana: “Quinta e sexta-feira pode ter geada nos campos de Palmas e algumas regiões de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. A partir de terça-feira (17) começa a haver chances de geada na região Oeste e Sudoeste do Paraná. No decorrer da quarta-feira (18), risco de geada em todo o Estado, com potencial de danos no milho safrinha”, detalhou.

Por conta disso, nós fomos saber o que o produtor rural deve esperar nas lavouras principalmente de milho, se a geada realmente chegar. O agrometeorologista, Reginaldo Ferreira explica que as lavouras de milho estão com uma ótima qualidade e que realmente a queda de temperaturas é preocupante: “As lavouras no campo estão um espetáculo, principalmente as de milho, poucos anos são como este. Tivemos aí uma surpresa em relação a chuva de granizo em alguns locais o que trouxe alguns prejuízos, mas foi localizada. Só que agora temos uma surpresa nada agradável, a possibilidade da ocorrência de uma geada relativamente muito cedo. Temos a possibilidade da ocorrência dessa geada em praticamente  toda a região Sul, parte da região Sudeste e ainda parte da região Centro-Oeste. Se isto acontecer vai ser muito prejuízo para os produtores de milho que já vem amargando prejuízos nos últimos três, quatro anos, tanto com seca como a geada do ano passado”, detalha Reginaldo.

ASSISTA O VÍDEO: 

 

 

É que para o milho, no estágio atual das lavouras, não há muito o que fazer para proteger a plantação quando a geada chegar, então a orientação de cuidados fica principalmente para quem planta hortaliças: “Não é fácil.  Aqueles que puderem tentar salvar de alguma forma as suas lavouras, que são relativamente pequenas no caso de hortaliça, devem procurar fazer o seu melhor pra que isso aconteça. Já as lavouras de milho que estão relativamente grandes, isso é um pouco mais difícil. A possibilidade realmente é que aconteça temperaturas muito baixas, capaz de causar estragos significativos não só na região Sul, mas alcançando São Paulo, parte de Goiás, parte de Minas Gerais. Então é preciso tentar se preparar para aquilo que puder fazer alguma coisa para pode salvar as suas lavouras esse seria um momento oportuno de tomar algumas decisões”, finaliza o agrometeorologista.

(Débora Damasceno/Sou Agro)

 

(Foto: arquivo portal Sou Agro)

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.