ESPECIAIS

Conteúdo sobre agronegócio nas escolas é debatido com Bolsonaro

Compartilhar

#souagro| Nós já trouxemos aqui no portal Sou Agro a história do projeto “De olho no material escolar”. A iniciativa foi criada para alertar e orientar os pais sobre os conteúdos do agronegócio que estão sendo repassados aos alunos nas escolas.

Pois bem, nesta sexta-feira (20) representantes do movimento estiveram em Brasília para debater o tema, com o presidente Jair Bolsonaro. Além do “De olho no material escolar”, outros movimentos e entidades estiveram presentes no encontro.

 

 

Andreia Bernabé é uma das fundadoras do movimento e esteve com o presidente e o ministro da educação. Ela apresentou alguns dados que demonstram a defasagem do conteúdo nas escolas brasileiras, quando se trata de agronegócio.

Durante o encontro, o ministro da Educação, Victor Godoy Veiga, apoiou a causa e afirmou que o tema agro deve ser muito bem explicado nas salas de aula: “Vamos ajudar as mães do agro a representar bem o agronegócio no material didático, com toda a importância que tem para o país e para o PIB brasileiro. Podem contar com o Ministério da Educação nesse sentido”, afirmou o ministro.

De olho no material escolar 

O projeto visa atualização dos conteúdos relacionados ao agro nas apostilas das crianças de todo o Brasil. Andreia Bernabé, é uma das fundadoras do movimento e conta como tudo surgiu: “Durante a pandemia muitos pais e mães se tornaram professores no momento em que o Brasil se fechou dentro de suas casas. Então foi nesse momento que foi percebido a quantidade de conteúdos que não vão de encontro com a nossa realidade da produção brasileira. Percebeu-se a ausência de ciência e de dados oficiais dentro dessas apostilas. O Brasil evoluiu muito na questão da produção brasileira nesses últimos 30 anos com evolução tecnológica e cultural, mas essa evolução, essa capacidade do Brasil em ser um país de grande potência agrícola não foi mostrada dentro dessas apostilas”.

 

E é justamente essa defasagem nos conteúdos que motiva o movimento a lutar pela melhoria nas apostilas. Segundo Andreia, nada do que está disponível aos alunos condiz com a realidade do agro: “O movimento ele vem justamente para isso, para pedir ao Ministério da Educação e as editoras que fazem todos esses conteúdos pra que haja uma interação, e que faça essa atualização, essa modernização dentro dessas apostilas. E claro, com toda base científica com e pesquisa que estão disponíveis dentro de uma Embrapa, dentro das universidades e também contando com dados oficiais do nosso país.

(Débora Damasceno/Sou Agro)

 

(Fotos: reprodução Instagram/De olho no material escolar)

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.