Paraguai intensifica plantio de soja

 

#souagro | Com o objetivo de ultrapassar 10 milhões de toneladas pelo terceiro ano consecutivo, o Paraguai iniciou o plantio da safra 2021/22 da soja, com expectativa de cultivo de 3,7 milhões de hectares. O Paraguai é o quinto maior produtor de soja do mundo, atrás do Brasil, Estados Unidos, Argentina e China.

Para Santiago Bertoni, ministro da Agricultura e Pecuária do Paraguai, o país vizinho conta com 43 mil pequenos produtores, que produzem em uma área de 860 mil hectares, representando uma receita aproximada de US$ 500 milhões.

Vale destacar ainda a expansão da genética Paraguai para outros países do Mercosul. A soja já é cultivada na Bolívia, Brasil e muito em breve, o Uruguai. Entretanto, a produção brasileira será 114 vezes maior que a do vizinho país, de acordo com números obtidos junto à Conab (Companhia Nacional de Abastecimento).

De acordo com a analista de mercado da Dasagro, Esther Storch, esse ano o plantio já apresenta um avanço considerável. “Esse cenário é por conta das chuvas que entraram pela região Sul em uma janela um pouco mais cedo, no fim de agosto, como o primeiro ciclo de chuvas em Itapuã e Alto Paraná, departamentos paraguaios que tradicionalmente são os que mais investem no plantio da soja”.

O plantio o Paraguai teve início em áreas que já estavam com o milho. Na medida que foram colhendo o milho já foram plantando a soja. Na região sul daquela país, o plantio já avançou 40% e na região norte, apenas 20%, justamente por falta de umidade.

Em comparação com o ano passado, a área plantada já é bem superior. Em 2019, o plantio nesta mesma época estava em 10,5%, em 2019, 18,5%, em 2018, 40% da área neste período e em 2017, 28,5%, conforme dados da Dasagro.

 

Clique e faça parte do grupo de WhatsApp do Sou Agro

 

CUSTO DE PRODUÇÃO

O custo de produção está bem mais elevado em relação à safra passada no Paraguai, muito em virtude da alta dos insumos. Somente o fertilizante, teve um acréscimo de 17% e defensivos agrícolas, 18%, isso em relação ao preço médio. Frente e combustível representam um aumento nos custos de 12%. Apesar disso, por conta do preço da saca da soja, o rendimento do produtor ainda será 24% superior ao período anterior. A expectativa, se o tempo colaborar, é de iniciar a colheita a partir de 20 de dezembro.

(Vandré Dubiela/Sou Agro)

 

Compartilhe em suas redes sociais:

Notícias relacionadas:

Compartilhe em suas redes sociais:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.