Foto: reprodução

Aumento nos casos de gripe aviária já causa racionamento de ovos em alguns países

Débora Damasceno
Débora Damasceno
Foto: reprodução

#souagro| Alguns supermercados britânicos, já começaram a racionar a compra de ovos pelos clientes depois que os suprimentos foram interrompidos pela gripe aviária. A Grã-Bretanha está enfrentando o maior surto de gripe aviária e está vendo um rápido aumento no número de casos em fazendas comerciais, impactando o fornecimento de ovos e também aumentando o medo de uma escassez de perus e galinhas para o Natal.

A Asda, terceira maior mercearia da Grã-Bretanha depois da líder de mercado Tesco e Sainsbury’s, está limitando os clientes a duas caixas de ovos. Embora a gripe aviária tenha interrompido o fornecimento de algumas variedades de ovos, os varejistas são especialistas em gerenciar cadeias de suprimentos e estão trabalhando duro para minimizar o impacto nos clientes”, disse Andrew Opie, diretor de alimentos e sustentabilidade do British Retail Consortium, que representa os supermercados britânicos.

 

“Algumas lojas introduziram limites temporários no número de caixas que os clientes podem comprar para garantir a disponibilidade para todos”, acrescentou.

Um porta-voz da Sainsbury’s disse que estava “enfrentando alguns desafios de abastecimento com ovos”. O porta-voz disse que o grupo não introduziu limites de compra, mas teve que adquirir temporariamente alguns ovos da Itália.

A British Free Range Egg Producers Association (BFREPA) disse que o aumento do custo de produção de ovos desde a invasão russa da Ucrânia foi outro fator que afetou a oferta.

“Os agricultores estão basicamente perdendo dinheiro porque o preço que está sendo pago no supermercado não está sendo repassado pela cadeia de abastecimento aos agricultores”, disse um porta-voz da BFREPA.

 

“Portanto, um grande número deles está perdendo uma quantia significativa de dinheiro e não pode mais produzir ovos”, disseram eles, observando que a indústria caiu 743.350 poedeiras nesta temporada.

Na semana passada, a diretora veterinária do Reino Unido, Christine Middlemiss, minimizou a ameaça da gripe aviária aos suprimentos de aves de Natal.

Ela disse à rádio BBC que a Grã-Bretanha abate cerca de 1 bilhão de aves por ano, enquanto até agora no atual surto 2,3 milhões de aves morreram ou foram abatidas, um número pequeno em termos de produção anual geral.

(Com Reuters)

(Débora Damasceno/Sou Agro)

Entre em um
dos grupos!

Mais Lidas

Mais Notícias