“Nós produzimos sem saber o preço que vamos receber amanhã”, desabafa produtora de leite

Compartilhar

#souagro| No fim de agosto a gente mostrou aqui no Sou Agro que as previsões para setembro eram de queda no preço pago ao produtor de leite.  Nos últimos meses a gente vem acompanhando muitas idas e vindas para o produtor de leite, e inclusive, muitos deles têm abandonado a produção por conta do atual cenário.

Altos custos de produção, diminuição de produtores entre outros fatores causaram uma crise no setor e também fez o preço do leite subir próximo dos R$ 9 em várias cidades do Brasil. Só que isso não quer dizer que o produtor está ganhando mais. Tanto que a previsão negativa para setembro tem gerado revolta nos produtores e fazendo muitos desanimar do setor.

 

Como é o caso da Rosângela Castelli, produtora de leite em Selbach, no Rio Grande do Sul, em um verdadeiro desabafo, ela relatou a dificuldade de se manter na atividade: ” Com uma notícia de baixa no preço do leite. Não tem como a gente ficar feliz. Não tem como a gente ficar alegre e infelizmente eu vou ter que fazer uma seleção nessas vacas e escolher aquelas que não estão de acordo com a produção, que não estão emprenhando, que estão aqui no plantel, comendo o que uma outra poderia comer e mandar para o gancho (abate)”, desabafou.

VEJA O VÍDEO:

 

Segundo Rosângela, mandar algumas vacas para o abate foi uma alternativa encontrada para tentar se manter na atividade e conseguir passar pelo cenário atual.
“Essa é a saída encontrada aqui na propriedade. Afinal, o investimento foi feito e está aí para ser pago. Mas tá difícil, tá muito difícil dar conta de pagar todos os boletos. E para complicar, mais uma baixa está por vir. No mês que vem eu não sei até quando nós produtores vamos aguentar. Volto a dizer. Nós, produtores de leite, nós não temos segurança com a nossa produção. Nós produzimos sem saber o preço que vamos receber amanhã”, finaliza a produtora.

 

PREVISÕES DE MERCADO

Segundo a pesquisa do Cepea, o leite captado em julho/22 e pago aos produtores em agosto/22 se valorizou 11,8%, chegando a R$ 3,5707/litro na “Média Brasil” líquida do Cepea. Com isso, o valor médio do leite acumula avanço real de 60,7% desde janeiro/22 (os dados foram deflacionados pelo IPCA de julho/22). Ressalta-se, no entanto, que pesquisas do Cepea ainda em andamento indicam que o movimento de alta deve ser interrompido, com possibilidade de forte queda no preço do leite a ser pago ao produtor em setembro, referente à matéria-prima captada em agosto.

O encarecimento do leite no campo ao longo dos últimos meses se deve à baixa disponibilidade. O avanço da entressafra intensificou a restrição de oferta de leite, mas, neste ano, o setor enfrenta um enxugamento mais drástico da produção, devido à combinação de seca e mudanças estruturais no campo, desencadeadas, por sua vez, pelo aumento nos custos de produção nos últimos anos e pelos menores níveis de investimentos na atividade.

(Débora Damasceno/Sou Agro)

(Foto: Envato)

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.