Valor de referência do leite sobe, mas produtores ainda não sentem reflexo

Compartilhar

#souagro| Números do Conseleite apontaram, em junho deste ano, uma tendência de alta no valor de referência do leite. O dado foi divulgado em reunião realizada nesta terça-feira (26).

Os dados da associação civil, que reúne de forma paritária representantes de produtores rurais e de indústrias de laticínios, fecharam R$ 2,68 em junho. Isso representa R$ 0,39 a mais do que o valor de maio R$ 2,29.

Mas os altos custos de produção do leite brasileiro também têm levado os produtores a reduzirem a oferta, mexendo diretamente no equilíbrio da oferta e demanda dos lácteos. E, ao produtor rural, ainda não há um repasse desse aumento no preço médio.

 

Em termos percentuais, isso representa uma elevação de 17%.

Conforme os números, que são sistematizados mensalmente pela UFPR (Universidade Federal do Paraná) e apreciados pelo Conseleite-PR, a tendência para o mês de julho é que haja um novo reajuste positivo, acima dos R$ 0,50. Entre os fatores que contribuem para esse cenário estão os aspectos externos, como reflexos do pós-pandemia do coronavírus e a Guerra da Ucrânia, que pressionam a inflação no Brasil e do mundo.

Assuntos gerais

Durante a reunião do Conseleite-PR, o presidente da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Leite e Derivados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Ronei Volpi, compartilhou que o órgão nacional tem feito pressão para que seja feita uma regulamentação dos chamados produtos Plant Based. Entre esses alimentos estão alguns que não levam leite na composição e se autodenominam como “queijo”, por exemplo. “Estamos penando muito com isso, de outras áreas, principalmente áreas vegetais, se apropriarem de denominações lácteas e isso não tem uma regulamentação correta. Vamos ter uma audiência em agosto para colocarmos essa questão com urgência para que não se induza ao consumidor ao erro”, afirmou.

 

Encaminhamento de produtores

Antes da reunião do Conseleite-PR, produtores de leite do Estado se reuniram em frente à sede da FAEP para manifestar o desejo de incluir na lista de reivindicações do setor pautas de aprimoramento do conselho e outros desafios à cadeia produtiva. Todos foram recebidos e puderam participar de uma mesa redonda dividida em dois momentos, no início da manhã e durante a tarde. Entre as pautas, estiveram a atualização dos critérios para o cálculo dos valores de referência pelo conselho e a realização de reuniões híbridas (presenciais e virtuais) e com mais tempo para discussão. Outros pontos tratados incluíram a questão da fidelização entre indústria e produtores, a realização de reuniões de produtores antes da votação do Conseleite-PR, entre outros.

(Tatiane Bertolino/Sou Agro – com assessoria)

 

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.