Conheça Nina, a ovelha que teve trigêmeos na primeira cria

Compartilhar

#souagro| A produtora rural Suzana Meier, que mora no interior de Matelândia, Oeste do Paraná, encaminhou um vídeo para nós da reportagem do Portal Sou Agro que chamou a atenção e nos fez buscar um médico veterinário que explicasse como funciona o ciclo reprodutivo das ovelhas e o cuidado com os animais.

É que a ovelha Nina, na sua primeira cria, deu à luz a três filhotes. Isso mesmo. Três filhotes. Duas fêmeas e um macho.

“A Nina é uma ovelha que foi criada aqui no sítio e, para nossa surpresa, na sua primeira cria, já nasceram trigêmeos. Temos 25 ovelhas e agora nosso cuidado está exclusivo a ela”, conta Suzana.

 

A nossa equipe conversou com o médico veterinário do IDR-Paraná (Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná IAPAR-Emater) André de Moura Victório. 

Ele explicou que as ovelhas podem sim criar gemelares, porém, o mais comum é que uma ovelha crie de um a dois filhotes por vez. “O parto de múltiplos nas ovelhas é mais simples do que em bovinos e pode ocorrer de uma fêmea criar até quatro animais de uma vez. Isso tem a ver com o manejo da fêmea pré-monta, da alimentação do animal que antes da cruza começa a ganhar peso. Desta forma, o animal entende que o ambiente é favorável e ovula mais, o que dá possibilidade de múltiplos filhotes”, explica.

Mesmo assim, não é muito bom que o animal tenha mais de dois filhotes por vez. “Isso porque eles podem ficar frágeis, então, não é muito desejado nem tão comum que uma ovelha dê a cria a mais de dois filhotes de uma vez”.

 

Confira o vídeo da ovelha Nina e a entrevista completa:

 

 

Sobre a reprodução dos animais

O médico veterinário do IDR-Paraná André de Moura Victório explica que, na nossa região, a reprodução de animais é pouco estruturada e há produção de ovelhas mais para carne que para lã. Apesar de muitos animais nascerem na época do inverno, isso não é o ideal. “As ovelhas precisam parir em época mais seca e mais quente. Se a monta ocorrer em fevereiro e em março, considerando cinco meses de gestação, o nascimento fica para julho e agosto. Porém, há mais risco de mortalidade de animais em períodos de frio e de muita umidade”.

O indicado é que os filhotes nasçam em temperatura boa e em época mais seca. “Se fizer a reprodução entre abril e maio, os animais nascem em uma estação com menos risco de mortalidade”.

 

Ele ressalta que o ideal é que os produtores façam um planejamento para que os filhotes nasçam todos de uma vez. “Se o nascimento é programado em lotes, o produtor consegue se adequar para receber os animais e lucra mais porque consegue vender em lotes fechados. Também é possível dar um cuidado nutricional melhor, desde a gestação das ovelhas, em que é necessário que elas comam por elas e pelos filhotes, até o nascimento e o manejo dos recém-nascidos”, complementa.

 

(Tatiane Bertolino/Sou Agro)

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.