Foto: Seagri/RS

Laudos negativos: RS termina investigação em casos de doença rara em suínos

Débora Damasceno
Débora Damasceno
Foto: Seagri/RS

#souagro| Nós mostramos aqui no Sou Agro que o Departamento de Vigilância e Defesa Sanitária Animal, da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) do Rio Grande do Sul, confirmou no fim do ano passado um caso positivo da doença de Aujeszky (conhecida como pseudo-raiva) que atinge principalmente suínos.

Agora a Secretaria da Agricultura, Pecuária, Produção Sustentável e Irrigação (Seapi), junto com o Ministério da Agricultura, está concluindo os trabalhos de investigação e vigilância ativa em São Gabriel. Após vistoria em mais de 150 propriedades e cerca de 650 amostras coletadas, todos os laudos foram negativos para a enfermidade.

 

“A propriedade foco, já saneada está numa área periurbana (que se encontra numa posição de transição entre espaços estritamente rurais e áreas urbanas). Com isso, a zona de vigilância, que constitui um raio de cinco quilômetros a partir do foco, atingiu boa parte da área urbana e diversas propriedades e criações de subsistência na periferia da cidade”, conta a diretora do Departamento de Vigilância e Defesa Sanitária Animal da Secretaria, Rosane Collares.

Após a confirmação do caso, a Secretaria da Agricultura iniciou um plano de saneamento do foco e contenção da disseminação. As ações se basearam no despovoamento da propriedade de subsistência positivada, vigilância e sorologia dos suínos localizados em um raio de cinco quilômetros a partir do foco, conforme preconizado pelo Plano Nacional de Sanidade Suína, do Ministério da Agricultura.

 

Procedimentos adotados

– Sacrifício sanitário: realização de sacrifício sanitário dos 46 suínos da propriedade positivada, no próprio estabelecimento de criação. Houve a realização de colheita de tecidos de três suínos sacrificados para pesquisa, com resultado negativo;

– Rastreamento epidemiológico: rastreamento de possíveis vínculos epidemiológicos até 30 dias antes da manifestação dos sinais clínicos. Com os vínculos identificados e testados, todos os resultados foram negativos;

– Sorologia no raio de 5 km: foram priorizados estabelecimentos que possuem cadastro de exploração suinícola, com busca ativa nos demais estabelecimentos para identificação de suínos e coleta.

– Realização dos exames: como triagem, foi utilizado o laboratório público estadual credenciado, o Instituto de Pesquisas Veterinárias Desidério Finamor (IPVDF), para realização do teste ELISA. O Laboratório Federal de Defesa Agropecuária de Minas Gerais (LFDA/MG) realizou neutralização viral (VN) nas amostras reagentes. Até o presente, com 641 amostras coletadas e encaminhadas para teste de triagem, todos os laudos foram negativos;

– Suspensão, pelos Agentes de Manejo Populacional, do transporte das carcaças de javalis abatidos, para fins de controle populacional, oriundos do município de São Gabriel, no Estado do Rio Grande do Sul.

(Com Seagri/RS)

(Débora Damasceno/Sou Agro)

Entre em um
dos grupos!

Mais Lidas

Mais Notícias