Safra recorde de milho vai normalizar estoques?

Compartilhar

#souagro|A 2ª safra de milho no Paraná, prevista para ser recorde, deve normalizar os estoques nacionais do grão. No ano passado, neste mesmo período, a quebra foi gigantesca por causa da estiagem e das severas geadas.

Segundo boletim do Deral (Departamento de Economia Rural) da Seab (Secretaria de Agricultura e Abastecimento), 20% das áreas plantadas de milho 2ª safra foram colhidas. O relatório foi divulgado na última terça-feira (12).

Apesar dos problemas, principalmente com a cigarrinha, o Paraná mantém a estimativa de safra recorde neste ano. Segundo o Deral, o Estado fechou junho com estimativa de pequena redução na produção de milho segunda safra 2021/22. A projeção é que serão produzidos pouco mais de 36,2 milhões de toneladas contra 36,8 milhões de toneladas previstas em maio. Mesmo com a pequena redução, trata-se de uma safra recorde. A área de plantio é de quase 10,9 milhões de hectares.

 

A previsão subjetiva da safra apresentada pelo Deral aponta que a produção de milho nesta segunda safra deve ficar em torno de 15,4 milhões de toneladas. É uma redução de 700 mil toneladas em relação à projeção inicial de 16,1 milhões de toneladas. Mas será 170% superior ao colhido na safra anterior, muito afetada pelas condições climáticas adversas, e que ficou em 5,7 milhões de toneladas.

“Tivemos frustrações nas safras anteriores. Agora estamos com uma safra excepcional, com produtividade que pode ser 20% acima do esperado, o que movimenta todo o agronegócio e toda a economia do Estado. Somos grandes produtores de carne e de leite e temos a garantia de que teremos alimentação para os nossos plantéis que virá do milho daqui mesmo, do Paraná”, avalia o presidente da Coopavel, Dilvo Grolli.

Mesmo com a safra recorde, os preços do milho devem se manter equilibrados. “Temos um equilíbrio do preço do mercado e do mercado externo e isso deve fazer com que não haja muita variação”, relata.

 

O presidente do Sindiavipar (Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Estado do Paraná) Irineo da Costa também considera que a safra recorde vai compensar os estoques da safra anterior e, com isso, o custo com ração para manutenção dos animais será mais equilibrado. “Caso contrário, o custo de produção da carne seria ainda maior. A excelente safra de milho que está sendo colhida no Estado ajuda a capitalizar o produtor de grãos e isso traz benefícios para todos os segmentos de logística”.

Confira as entrevistas completas:

 

(Tatiane Bertolino/Sou Agro)

Foto: Jota Jota Gestão Agronômica

 

Compartilhe em suas redes sociais:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.