Jacto lança duas novas colhedoras de café na Agrishow

Compartilhar

#souagro| O portal Sou Agro já desembarcou em São Paulo para acompanhar todas as novidades para o agronegócio na Agrishow. Alguns dos lançamentos estão na Jacto, onde duas novas colhedoras de café estão sendo apresentadas aos produtores.

A Jacto é pioneira em máquina de colher café, lançou a primeira do mundo há 43 anos que se chama K3, 7 anos atrás lançou a K 3500 que é a maior e mais robusta colhedora de café do mercado. Agora as duas novidades são: a automotriz K 3000 e a tracionada KTR 3000.

 

 

A K 3000 é uma colhedora automotriz, com reservatório de café de 2000 litros. Já a KTR 3000 é uma colhedora tracionada e com reservatório de café de 1800 litros. As duas possuem altura livre de colheita de 3,1 metros e capacidade de correção de inclinação lateral de até 30%.

ASSISTA O VÍDEO E CONHEÇA AS DUAS NOVAS COLHEDORAS: 

Paulo Guirao é gerente de negócios da Jacto e diz que esse lançamentos são para reforçar o compromisso da Jacto com a cafeicultura brasileira: “Essas máquinas elas são mais compactas e versáteis, ou seja, são máquinas que se adequam a uma variedade grande de lavouras e tipos de terreno. Desde um pequeno cafeicultor do Sul de Minas que tem uma área mais inclinada até 30%, são máquinas que conseguem corrigir essa inclinação, até um cafeicultor que quer colher uma lavoura um pouco mais jovem, que a gente sabe que tem uma característica diferente para colher, essa máquina vem com um recolhedor que é adaptado a isso ou até um grande cafeicultor que precisa de grande velocidade e alto rendimento, essas máquinas estão preparadas pra fazer isso”, detalha Paulo.

As máquinas são compactas, mas cheias de tecnologias e facilidades para que o produtor rural consiga agilidade na colheita: “Embora elas tenham um porte menor e isso tem muita tecnologia e assim traz muita facilidade e conforto e uma precisão na colheita pro operador. Essas máquinas geralmente a versão tracionada, ela consegue cuidar de uma área mais ou menos de 200 hectares e uma versão automotriz até 300, mas geralmente a gente vê que cafeicultores com 40, 50 hectares que já tem a máquina, que já consegue ver vantagem tendo um produto desse”, finaliza Paulo.

(Débora Damasceno com Sirlei Benetti/Sou Agro)

 

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.