Custo de produção do frango está cada vez mais alto

Compartilhar

#souagro| O mês de março foi marcado pelo recorde no alto custo de produção do frango. O resultado é do levantamento mensal da Embrapa Suínos e Aves.

O mês fechou em R$5,77/kg, valor 1,58% maior que fevereiro e 18,72% que março do ano passado. Com esta última elevação, o custo médio no primeiro trimestre do ano, também recorde, alcançou a marca dos R$5,65/kg, aumentando 18,35% em relação ao mesmo trimestre de 2021 e 82,96% em relação ao trimestre inicial de 2020.

O que mais chama a atenção é a evolução desse custo em comparação aos valores registrados no período pré-pandêmico, ou seja, ainda em 2019. Em março daquele ano, por exemplo, o custo de produção do frango ficou em R$2,80/kg, isto significa que o custo atual mais do que dobrou, aumentando 106%.

 

Quase idêntica variação é observada na comparação do primeiro trimestre de 2022 com o mesmo período de 2019, já que o custo médio do período subiu de pouco mais de R$2,80/kg para R$5,65/kg. Variação, portanto, de 101,8%.

O que não escapa é que, nesses mesmos períodos, o preço médio recebido pelo avicultor pelo frango vivo (base: interior de São Paulo) passou de R$2,99/kg para R$5,27/kg. E isto significou incremento de apenas 76,2%.

No gráfico abaixo é possível observar que no decorrer de 2019, ou seja, antes da pandemia, o custo de produção registrou evolução moderada, como de hábito. Assim, entre janeiro e dezembro daquele ano a variação foi de 6%, índice que em 2020 subiu para 44,5%. E isto não teve relação com a pandemia e, sim, com o aumento da demanda externa pelo milho e pela soja e pela forte valorização do dólar.

 

 

frango

(Débora Damasceno/Sou Agro com Avisite)

 

(Foto: Adapar)

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.