Ataques de porcos selvagens destroem lavouras no MT

Compartilhar

#souagro| O ataque de porcos selvagens, conhecidos como “porcos-do-mato” é algo que tira o sono dos produtores de milho do Mato Grosso. A situação sempre se repete, pois as lavouras são uma grande fonte de alimentos, o que atrai os javalis e javaporcos (cruzamento de porco doméstico com javali selvagem). Além disso, têm os catetos e os queixadas, espécies que também tem grande poder de devastação.

Acontece que esses ataques dos animais causam prejuízos milionários aos agricultores. Para o produtor de Querência, Nirto Luiz Fasolo Junior, os ataques estão aumentando a cada safra: “estamos preocupados com os prejuízos que o porco-do-mato vem causando em nossas propriedades, destruindo as lavouras de milho”.

Na região norte do Estado, município de Sorriso, a presença indesejada desses animais selvagens também aumentou: “já está insustentável o aumento de porco-do-mato no estado e se continuar assim a perda será muito grande para essa safra”, aponta o produtor rural Tiago Stefanello.

 

Preocupada com os prejuízos causados nas lavouras, a Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT), recomenda que os agricultores utilizem o aplicativo TimeStamp Camera Basic, disponível para Android e IOS: “A Aprosoja recomenda que os produtores façam vídeos com o celular na horizontal O aplicativo ajuda no georreferenciamento dos ataques de porcos do mato, informando a localização exata, data e anexando fotos e vídeos. Isso irá ajudar a montar um banco de dados para o Ministério do Meio Ambiente e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), façam o controle dessas pragas”, destaca o vice-presidente da Aprosoja-MT, Lucas Costa Beber.

Aprosoja Mato Grosso enfatiza a importância de fazer o cadastro dos ataques através do aplicativo, para que possa ser analisada a região que tem maior incidência de problemas com os animais selvagens.

CONTROLE DOS ANIMAIS

Segundo a Aprosoja, uma medida que ajudaria no controle é que o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), autorize o abate para controle populacional dos catetos e queixadas. Em 2013 o abate de javalis e javaporcos, chegou a ser autorizado, desde que sob supervisão do órgão: “A caça para consumo humano deveria ser liberada, respeitando as regras ambientais, ajudando a diminuir os ataques e minimizando os prejuízos”, diz o presidente do sindicato rural de Primavera do Leste, Marcos Bravin.

Veja aqui o Manual de Boas Práticas para controle de Javali, do IBAMA.

(Débora Damasceno/Sou Agro com Aprosoja/MT)

 

(Foto: reprodução internet)

Compartilhe em suas redes sociais:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.