ESPECIAIS

Geada encarece preço das hortaliças ao consumidor  

Compartilhar

 

souagro | As grandes áreas exploradas com hortifrutigranjeiros no Paraná não passaram incólumes ao efeitos devastadores das geadas registrados no começo da semana. O diretor técnico da Ceasa-PR, Antônio Leonardecz, faz uma avaliação preliminar do impacto deste fenômeno no Estado. Já nessa semana, o consumidor já sentirá os reflexos da geada no preços das folhosas, com acréscimo de 15%.

 

VEJA O VÍDEO:

Veja o relato de um produtor de São Miguel do Iguaçu sobre os prejuízos que teve com a geada

 

A Região Metropolitana de Curitiba produz o equivalente a 80% das hortaliças do Estado, sem considerar a batata e o tomate. Em relação às perdas, são dois pontos a serem avaliados: a produção a céu aberto e o cultivo em sistema protegido.

Em relação ao cultivo a céu aberto, a alface teve uma perda entre 60% e 70% de toda a produção. Já o brócolis e o repolho, 30% e os tubérculos, não há registro de quebra. Pelo sistema protegido envolvendo a produção de hortaliças, por meio de estufas, túnel baixo ou uso de mantas, a perda foi menor, algo em torno de 10%. Essa tecnologia de proteção já é utilizada em 20% das áreas no Estado, principalmente em relação às culturas do tomate, pimentão e em hidroponia.

(Vandré Dubiela/Sou Agro)

 

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.