Como será a previsão do tempo até o inverno de 2022

Compartilhar

#souagro| No campo os agricultores sempre esperam por uma previsão do tempo favorável para uma boa produção nas lavouras. Nos últimos meses a estiagem tem trazido reflexos negativos aos produtores. Mas e para o ano que vem, o que se pode esperar das condições climáticas? E a chuva? O engenheiro agrônomo Ronaldo Coutinho faz uma previsão do que vem por aí.

ASSISTA O VÍDEO:

Ronaldo Coutinho faz um detalhamento sobre o fenômeno La Niña: “Dezembro, janeiro e fevereiro está uma moderada forte no Pacífico, o Atlântico não nos ajuda. E ajuda o Nordeste. Janeiro, fevereiro e março ela continua intensa, fevereiro, março e abril ela também continua intensa, março, abril e maio continua com uma La Niña moderada, continua com a La Niña abril, maio, junho e só no inverno é que ela começa a dar sinais de enfraquecimento.”

 

PRÓXIMO DIAS

Quando falamos em safra de verão, a situação é pior no Rio Grande do Sul: “Essa frente que pode vir agora de domingo (12) pra segunda (13), não pode falhar. Falhou? a próxima vai ser perto do Natal, então, realmente tá complicado. Tem bastante água fria aqui em profundidade, a água fria continua bastante intensa aqui no Pacífico e isso vai continuar mantendo a La Niña ainda por muito tempo”, explica Coutinho.

FALTA DE CHUVA CONTINUA EM 2022

A preocupação é que as projeções não ajudam muito a região sul com relação as chuvas: “O Atlântico não ajuda a região sul nem no final do verão, no outono, praticamente ele não nos ajuda muito nas projeções, ele ajuda mais o nordeste. Então diante desse quadro nós vamos ter o quê? Continua aqui no centro-sul do Brasil, sul do Mato Grosso do Sul, parte de São Paulo, sul, nordeste da Argentina, a região de produção, centro-sul do Paraguai e Uruguai com chuvas muito irregulares o ciclo todo”, detalha Coutinho.

 

Com a projeção dos próximos meses não muito animadoras com relação a chuva, o produtor precisa se atentar pois o ano que vem deve ser novamente preocupante: “Talvez ali entre meados de janeiro a gente tem alguma chuva melhor entre o Mato Grosso do Sul, São Paulo, Paraná e menor chance no Rio Grande do Sul. Depois volta de novo a ficar ruim durante o outono, o começo de inverno. Não dá pra atrasar o plantio do milho safrinha, pois o frio vai chegar cedo, as geadas vão chegar cedo e isso pode atrapalhar e impactar mais lá na frente, principalmente de maio pra frente. Poderemos no milho safrinha perder por excesso e falta de chuva e frio na hora errada”, finaliza Coutinho.

 

LA NINÃ: O QUE É

O La Niña consiste em uma alteração periódica das temperaturas médias do Oceano Pacífico. Essa transformação é capaz de modificar uma série de outros fenômenos, como a distribuição de calor, concentração de chuvas, formação de secas e a pesca. Quando a alteração da temperatura das águas do Oceano Pacífico aponta para uma redução das médias térmicas, o fenômeno é nomeado de La Niña, basicamente o efeito La Niña está ligado ao resfriamento das temperaturas médias das águas do Oceano Pacífico, representando exatamente o oposto do fenômeno El Niño, que produz um aquecimento anormal de suas temperaturas.

 

(Débora Damasceno/Sou Agro)

 

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.