Exportação e alta demanda fazem o preço da carne de frango subir

Compartilhar

#souagro| Os preços da carne de frango subiram em julho, com recuperação frente ao movimento de queda verificado em maio e em junho.

Segundo pesquisadores do Cepea (Centro de Estudos em Economia Aplicada), o aumento dos preços é pautado principalmente pela baixa disponibilidade interna de carne de frango devido às exportações e ao maior consumo da população, que procura proteínas mais baratas por conta da forte inflação.

Assim, em julho, o preço médio do frango inteiro comercializado na Grande São Paulo, por exemplo, atingiu o maior patamar mensal dos últimos três meses, em termos reais.

 

O produto congelado registrou média de R$ 7,76 o quilo na região paulista no último mês, alta de 4,7% em comparação com o mês anterior.

Mesmo com os avanços, o preço de julho ainda esteve 4,9% abaixo da média verificada no mesmo período de 2021.

Para os cortes e miúdos também comercializados no atacado da Grande São Paulo, dentre os produtos acompanhados pelo Cepea, apenas a asa se desvalorizou em julho. A demanda específica pelo produto para churrascos e confraternizações tende a se reduzir no período de inverno, devido às temperaturas mais baixas.

 

Na contramão, o que mais se valorizou foi o filé de peito, que tem tido tendência de alta desde meados de março deste ano. O preço é recorde real da série histórica do Cepea, iniciada em 2004. No último mês, o produto congelado teve média de R$ 16,06/kg, que, além de recorde, é 5,5% maior que a média de junho e 22,5% superior ao valor registrado em julho/21.

(Tatiane Bertolino/Sou Agro – com Cepea)

 

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.