Perdas na colheita no RS geram aumento de pedidos do Proagro

Compartilhar

A estiagem deste ano atingiu em cheio a produção rural familiar gaúcha. Com perdas que chegam a 80% da produção, recorrer a programas de recuperação é uma das únicas opções para muitas famílias, cujas rendas dependem principalmente da colheita. No RS, na safra de grãos de verão 2021/2022 foram registrados 21.521 comunicados de perdas solicitando a cobertura do Programa de Garantia da Atividade Agropecuária (Proagro), sendo as culturas de soja e milho as mais atingidas.

Até o dia 25 de abril deste ano foram emitidos/registrados 8.861 comunicados de perdas em plantações de soja e 3.604 para milho. Comparado com o ano de 2021, com 8.732 comunicados, neste ano de 2022 até o momento foram 12.789 comunicados, um aumento de 46,46%.

 

A Emater/RS-Ascar cumpre um papel fundamental para garantir aos agricultores familiares o acesso a seus direitos e benefícios. Nesse sentido, auxilia o pequeno agricultor a acessar o crédito rural, serviços de assistência técnica e auxílio com plantação, manejo e colheita. A Instituição é uma das responsáveis por realizar perícias nas terras onde foram comunicadas as perdas.

No momento das perícias os técnicos da Emater/RS-Ascar têm se deparado com lavouras plantadas fora do zoneamento, uso de sementes inadequadas ao zoneamento e o plantio sendo realizado fora da área registrada. “Isso tudo leva ao indeferimento do pedido de auxílio do Proagro”, alerta o extensionista Célio Colle, responsável pela área de Crédito Rural da Emater/RS-Ascar, ao salientar que “os agricultores devem sempre procurar orientação junto aos escritórios da Emater”.

AVALIAÇÃO

O Proagro visa repor as perdas dos pequenos e médios agricultores. Por exemplo, se o custeio do plantio equivale a 20 sacas, e o objetivo é colher 50, mas a colheita efetiva é de apenas dez, pode solicitar o auxílio. Assim que solicitado, a perícia avalia o rendimento da lavoura e coleta outras informações que vão fundamentar o pedido. O relatório é então enviado ao banco responsável pelo empréstimo, que deve aprová-lo ou não, de acordo com o Manual de Crédito Rural. Neste exemplo, se aprovado, será ressarcido o valor equivalente às dez sacas perdidas. Ou seja, o Proagro apenas repõe perdas correspondentes ao valor financiado.

 

No entanto, o Proagro Mais oferece uma renda mínima, cujo valor total pode chegar a 80% do Rendimento Bruto Esperado (RBE), porém o limite é de até R$ 22 mil, no caso de plantação de grãos, e de até R$ 40 mil, para Fruticultura e Olericultura. O RBE é quanto se estima colher na safra, ou seja, no exemplo acima o agricultor poderia receber até 80% do valor de 50 sacas, considerando o teto estabelecido.

A perícia consiste em avaliar o rendimento da lavoura e coletar informações, como a localização, se em local inapropriado ou que não corresponda ao comunicado na contratação do crédito, e a variedade da semente usada. Qualquer inadequação destas condições pode causar o indeferimento do pedido de acesso ao Proagro. Por isso, é importante solicitar orientações no escritório da Emater/RS-Ascar em seu município, para acessar ao auxílio sem correr riscos.

O RS é o Estado que mais solicita o Proagro, principalmente pelas condições climáticas. Os eventos cobertos pelo programa são chuva excessiva, geada, granizo, seca, ventos quentes e frios, doenças e pestes sem controle. Os eventos não cobertos são incêndio, enchentes causadas por acidente e eventos associados ao plantio em solo impróprio.

 

(Fonte e foto: Emater/RS)

Compartilhe em suas redes sociais:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.