Foto: reprodução

Exportações do milho brasileiro estão a todo vapor

Débora Damasceno
Débora Damasceno
Foto: reprodução

#souagro| As exportações brasileiras de milho seguem intensas. Nas primeiras semanas de novembro, já foram embarcadas 2,28 milhões de toneladas de milho, com média diária de escoamento de 286 mil toneladas, segundo a Secex.

Caso esse desempenho diário seja mantido até o encerramento deste mês, as exportações podem somar 5,7 milhões de toneladas em novembro, o que seria o dobro do volume escoado no mesmo mês de 2021.

 

Pesquisadores do Cepea indicam que, apesar do bom andamento da safra verão e da proximidade da finalização da colheita nos Estados Unidos, a demanda internacional vem sendo impulsionada por dificuldades logísticas enfrentadas no Mar Negro e pela redução na produção da União Europeia, devido à seca.

EXPECTATIVA DE SAFRA

O Brasil deve ter uma safra recorde de grãos, cereais, leguminosas e oleaginosas em 2023. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) estima uma produção de 288,1 milhões de toneladas, ou seja, 9,6% (25,4 milhões de toneladas) a mais do que a safra prevista para este ano (262,8 milhões).

O volume recorde deverá ser puxado pela maior produção prevista para a soja (19,1%), milho 1ª safra (16,8%), algodão herbáceo em caroço (2%), sorgo (5,7%) e para o feijão 1ª safra (4,9%). A soja e o milho 1ª safra também devem ter aumento na área colhida, de 1,2% e 0,9%, respectivamente.

 

A pesquisa que foi feita em outubro deste ano, também estima que 2022 deve fechar com crescimento de 3,8% em relação ao ano passado (ou 9,6 milhões de toneladas a mais). A estimativa é 0,3% maior do que o levantamento de setembro deste ano.

(Com Cepea e IBGE)

 

(Débora Damasceno/Sou Agro)

Entre em um
dos grupos!

Mais Lidas

Mais Notícias