Carteiro tira fotos com todos os animais que encontra no caminho

A vida de um carteiro é um longo caminho percorrido diariamente pelas ruas das cidades. Há uma crença popular – que já virou piada – segundo a qual carteiros e cachorros (entre outros animais) são “inimigos mortais”. Mas Ângelo Cristiano da Silva Antunes é prova do contrário e tem muitas selfies para comprovar que a amizade com a bicharada é real.

Todos os dias, o carteiro Cristiano percorre as ruas de Guaratinguetá (interior de São Paulo), entregando encomendas e correspondências. Nos endereços em que o volume de entregas é maior, os gatos e cachorros já o reconhecem – muitos o esperam no portão.

A amizade entre humanos e animais de estimação é um vínculo real e muito forte. O carteiro é apaixonado pelos pets e faz questão de tirar selfies com eles, enquanto executa o seu trabalho. Carinhos, abraços e lambeijos recebidos por Cristiano colocam por terra o mito de que entregadores e animais domésticos são inimigos irreconciliáveis.

Amigo dos animais

Cristiano já é conhecido nas redes sociais como “o carteiro amigo dos animais”. Ele criou diversas páginas digitais, onde regularmente posta fotos com os amigos que encontra pelo caminho diário. Mas o rapaz não se limita apenas aos carinhos, selfies e brincadeiras.

Além de mostrar a intimidade com os pets – alguns cães e gatos ficam ansiosos pela próxima encomenda –, Cristiano também realiza campanhas pela internet para garantir o bem-estar e a alegria dos animais.

Em um dos posts mais recentes, de setembro de 2021, o carteiro atualiza a história de Snoopy, um cão que mora nas ruas de Guaratinguetá. Snoopy não tem casa, está doente e precisa de tratamento veterinário.

Cristiano está empenhado em arrecadar fundos para o tratamento e para os medicamentos de Snoopy. Além disso, por causa das condições de vida do animal, ele também está comprando ração. Mas esta é apenas uma das histórias que o carteiro amigo dos animais tem para contar.

As estratégias

Apesar de conviver diariamente com cães de guarda – que estão nos portões das casas justamente para guardá-las, Cristiano, que tem 32 anos, conta que nunca foi mordido. Ele afirma que os animais “baixam a guarda” quando o reconhecem.

Ele conta, divertido, que o único “acidente grave” aconteceu durante o primeiro ano de trabalho como carteiro. Ao tentar se aproximar de um pinscher miniatura, o peludinho avançou contra ele. O resultado foi um arranhão no braço, para mostrar que tamanho não é documento.

Mas o carteiro não chega brincando com todos os animais que conhece no dia a dia. Entrevistado pela BBC Brasil, ele disse que desenvolveu técnicas de aproximação. Primeiramente, ele oferece a mão para que os peludos possam cheirá-la – é uma maneira que eles têm para certificar-se de que não há nenhum perigo.

Cristiano brinca um pouco, oferece carinho e tenta conversar. Ele diz que os gatos são mais ariscos e levam mais tempo para ganhar intimidade. Os cães são mais confiantes, mas, mesmo assim, em alguns casos, é preciso um período de adaptação de até duas semanas.

De acordo com o carteiro, que percorre pouco menos de 2 km para fazer as entregas diárias – quase sempre de bicicleta – a amizade com cachorros e gatos torna a rotina mais agradável e o tempo passa mais rápido. Os destinatários das encomendas também se mostram mais receptivos ao observar que os peludos estão sendo bem tratados.

Clique e faça parte do grupo de WhatsApp do Sou Agro

A equipe de reportagem acompanhou um dia de trabalho de Cristiano e comprovou que o carteiro realmente tem um quê especial com os animais. À medida que chega aos endereços para as entregas, gatos e cães pequenos e grandes se aproximam para recepcioná-lo. Para alguns, o encontro é uma grande festa.

Além dos “colegas de trabalho”, o carteiro divide a casa com três gatos e dois cachorros. Ele ajuda a resgatar animais nas ruas, encontrar cachorros perdidos e tenta encaminhá-los para adoção, se não for possível reencontrar a família.

Cristiano tem, como projeto de vida, organizar um abrigo para cães e gatos; de acordo com o carteiro, a região em que vive não possui serviços de acolhimento. Ele pretende trocar a entrega de cartas pela criação de um santuário para animais, onde possa acolher e cuidar todos os bichos abandonados que encontrar. É um novo caminho.

FONTE – CÃES ONLINE

Compartilhe em suas redes sociais:

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.