MILHO: preço superou indicadores na última semana

Compartilhar

Os preços do milho seguiram em queda no interior do País na última semana, enquanto nos portos de Santos (SP) e de Paranaguá (PR), o cenário foi de alta na maior parte do período.

Indicativos superados

Assim, os valores nos portos superaram o Indicador ESALQ/BM&FBovespa (Campinas, SP), o que não era observado – pelo menos em Paranaguá – desde outubro de 2020.

Queda no fim da semana

No entanto, na sexta-feira, 5, tanto a moeda norte-americana quanto os preços externos do cereal caíram com força – 1,87% e 1,1%, respectivamente, frente ao dia anterior – derrubando também as cotações nos portos brasileiros.

Entre 29 de outubro e 5 de novembro, o Indicador ESALQ/BM&FBovespa recuou 0,26%, fechando a R$ 86,61/sc de 60 kg na sexta, 5.

Inovação: conheça o 1º caminhão movido a biometano suíno

 

Fechamento semanal

Nos portos de Santos e de Paranaguá, foram registradas desvalorizações de respectivos 2% e 1,8%, com a saca negociada a R$ 85,89 e a R$ 85,00. Segundo colaboradores do Cepea, no interior do País, predomina a baixa liquidez, visto que compradores se mantêm afastados do mercado spot, sinalizando ter estoques.

Mercado financeiro eleva projeção da inflação para 9,33%

 

Além disso, esses demandantes estão atentos às perspectivas de boa safra verão e de estoques confortáveis com as exportações desaquecidas. Do lado vendedor, alguns agentes com necessidade de liberar espaço nos armazéns acabam sendo mais flexíveis quanto aos preços.

 

Clique e siga o portal Sou Agro no Instagram

Clique e faça parte do grupo de WhatsApp do Sou Agro

Fonte: Cepea 

Compartilhe em suas redes sociais:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.