Pecuarista que não comprovar rebanho deve preparar o bolso

Compartilhar

 

#souagro | Faltam poucas horas para o criador de animais do Paraná regularizar a situação do seu rebanho junto à Adapar (Agência de Defesa Agropecuária do Paraná). A comprovação é parte importante para o processo de credibilidade sanitária animal, cuja conquista foi amplamente comemorada no dia 27 de maio, com a certificação emitida pela OIE (Organização Internacional de Epizootias), tornando o Paraná como Área Livre de Febre Aftosa Sem Vacinação. Quem não atualizar o cadastro está passível de receber multa e passará a não ter acesso à GTA (Guia de Transporte de Animais).

 

É preciso ficar atento, pois esse status passa a estar ameaçado caso as comprovações não sejam feitas pelo pecuarista, comprometendo a expansão dos negócios para o mercado exterior. A supervisora da unidade da Adapar em Cascavel, Odete Medeiros, considera o índice de atualização cadastral bastante baixo. Segundo ela, em Cascavel, esse índice hoje, último dia da campanha de atualização do rebanho, está em 72%. Já na unidade de Cascavel, abrangendo a microrregião, o percentual é menor ainda, de 68,7%. No Estado do Paraná, até o fim desta manhã, os números envolvendo a atualização cadastral dos rebanhos era de 74,8% de explorações pecuárias comprovadas.

Além da Adapar, o criador de animais pode regularizar a situação nos sindicatos rurais, escritórios localizados nas prefeituras e também por intermédio da internet, pelo site da Adapar (www.adapar.pr.gv.br)

(Vandré Dubiela/Sou Agro)

 

Foto: Gilson Abreu/AEN

 

Veja mais detalhes na entrevista concedida por Odete Medeiros, da Adapar:

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.