Seminário aborda uso de dejetos de animais em lavouras do oeste

Compartilhar

 

#souagro | O uso de dejetos animais como fertilizante em lavouras anuais é o tema central de um seminário nesta quarta-feira, com transmissão ao vivo pelo YouTube IDR-PR. O evento é uma promoção do IDR-PR (Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná) e Governo do Paraná.

 

Acompanhe o seminário:

 

dejetos de animais

A programação será iniciada com Arnaldo Colozzi Filho (IDR-PR) e Nelson Paludo, que farão a abertura e vão destacar a importância do tema central do seminário. A engenheira agrícola e pesquisadora da área de solos do IDR-PR de Londrina, Graziela Moraes de Cesare Barbosa, abordará o tema Metodologia e procedimentos para estimar a qualidade de dejeto animal e definir as quantidades a serem aplicadas. “O produtor não tem o hábito de utilizar o dejeto como adubo. Ele tem ciência das propriedades positivas do adubo, mas em contrapartida, não tem conhecimento da forma de fazer a medição do nitrogênio, do fósforo e do potássio presentes no concentrado”. Segundo ela, isso pode ser feito utilizando um método por intermédio da utilização do densímetro de bouyoucos e de uma tabela de conversão, que mostra o quanto seria aplicado se estivesse utilizando o adubo mineral.

 

Adapar: atualização cadastral do rebanho ainda é baixa

Exportação de milho recua, mas preço da tonelada sobe 55%

 

Graziela Barbosa atribui dois pontos importantes em relação ao uso de dejetos nas lavouras: a redução do custo, pois não será mais necessário investir em adubo mineral e a capacidade de nutrir a planta somente com a quantidade que ela necessita, ou seja, nem mais e nem menos nutrientes. “Essa metodologia foi lançada em 2015 e estamos realizando dias de campo justamente par para difundir essa prática e mostrar para o produtor, por intermédio dos nossos resultados de pesquisa, que é possível produzir sem ter que usar o adubo mineral”.

Em seguida, Luiz Antônio Zanão falará sobre Uso de dejetos de animais como fertilizante em lavouras anuais em solos do Oeste do Paraná. Do IAT (Instituto de Águas e Terras), participa Rossana Baldanzi, com enfoque na Atualização das leis e normas para o uso de dejetos de animais em lavouras anuais e pastagem.

(Vandré Dubiela)

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.