Mosca-branca causa prejuízo nas áreas de feijão do oeste  

Compartilhar

 

#souagro | Não é só falta de chuvas e a carência hídrica no solo que têm tirado o sono dos produtores de feijão na região oeste do Paraná. A mosca-branca causa prejuízo nas áreas de feijão do oeste.

O produtor e engenheiro agrônomo Airton Cittolin, da Cittolin Alimentos, está todo o dia no campo acompanhando a evolução da cultura e comenta que os ataques dessa praga têm sido muito severos em virtude das condições climáticas propícias para o aumento da mosca-praga, registrada a cada safra. “Trata-se de uma praga que se multiplica muito rápido quando o clima é favorável para isso”.

 

Área plantada de feijão segunda safra apresenta redução na região de Cascavel

Alerta no campo: pulgão-da-soja pode chegar ao Brasil

 

Segundo o engenheiro agrônomo, não há produtos específicos para o controle e combate e as revendas não se prepararam para um ataque tão voraz, além do mais os produtos existentes no mercado atualmente são considerados de valor bem elevado. “A alternativa encontrada é utilizar produtos paliativos, mas pouco eficientes para fazer frente às infestações registradas nas lavouras de feijão”. É uma praga de difícil controle e em muitas áreas, a mosca-branca já está fora de controle. “Quando a população de moscas-brancas é muito grande, ela suga a planta, que acaba definhando. Além disso, o excremento do inseto provoca um fenômeno conhecido como fumagina, criando um fungo que se espalha pela planta e reduz a área foliar. Um problema difícil de resolver no campo”.

 

Clique e assista a entrevista com o produtor de feijão e engenheiro agrônomo, Airton Cittolin, ao Portal Sou Agro:

 

Esses insetos atuam como sugadores da seiva e está presente em todo o mundo. Ela conta com mais de 126 gêneros e 1.200 espécies. Tem como provável centro de origem o Oriente. Sua introdução pelo mundo ocorreu por meio do comércio e transporte de plantas ornamentais pelo homem.

No Brasil, ela é conhecida desde 1923, com relatos mais corriqueiros dos problemas que ela causa 50 anos depois, como praga da cultura do algodão. Ressurgiu com intensidade no Brasil a partir da década de 1990, causando estragos nas regiões Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste. Os danos diretos da mosca-branca são causados pela sucção de seiva e injeção de toxinas pelas ninfas e adultos, quando se alimentam, provocando alterações no desenvolvimento vegetativo e reprodutivo da planta. (Vandré Dubiela)

 

VEJA TAMBÉM

Brasil no encalço dos EUA para se tornar potência mundial no milho

Colheita da safra da soja no PR está na reta final

 

Compartilhe em suas redes sociais:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.