OPINIÃO | A força do agronegócio brasileiro

Compartilhar

 

O agronegócio é um dos setores que mais movimentam a economia no país: pelo aumento da produtividade ao longo do tempo, pelo nível de investimentos realizados ou, até mesmo, pela quantidade de empregos que o setor gera, o que mostra o quão importante é a sua contribuição para o crescimento do cenário econômico nacional.

Segundo a Confederação Nacional de Agricultura (CNA), em 2019, a soma de bens e serviços gerados no agronegócio correspondeu a R$ 1,55 trilhão – ou 21,4% do PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro. Dentre os segmentos que mais contribuíram para tal desempenho, a maior parcela é do ramo agrícola, que corresponde a 68% desse valor (R$ 1,06 trilhão). Já a pecuária corresponde a 32% (R$ 494,8 bilhões).

Em 2020, o PIB brasileiro despencou 4,1% no acumulado dos quatro trimestres do ano. Segundo a série histórica do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), iniciada em 1996, trata-se da maior queda no crescimento desde os anos 1990. Quando se analisa o PIB por setor de atividades, vê-se que a indústria amargou queda de 3,5% e o setor de serviços teve um recuo ainda maior, de 4,5%. O setor de serviços acabou sendo o mais afetado em decorrência do fechamento de algumas atividades como medida para conter a propagação da Covid-19 e seu consequente colapso no sistema de saúde.

Na contramão da indústria e do setor de serviços, o PIB do setor agropecuário cresceu 2% em relação a 2019. Esse resultado se deve ao aumento da produtividade das culturas de soja e de café, que em 2020 tiveram um incremento de 7,1% e 24,4% na produção, respectivamente.

No caso da soja, alguns fatores foram responsáveis pelo bom desempenho, que obteve uma safra recorde em 2019/2020, como clima favorável, aumento da demanda no comércio internacional – principalmente por parte da China –, queda na produtividade da soja americana e, principalmente, a disparada do dólar, que favoreceu as exportações dessa commodity e estimulou os produtores a incorporarem novas áreas para a cultura do produto, na busca por replicar o excelente resultado de 2019/2020.

De acordo com a Carta de Conjuntura n° 49 de 2020 do Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea), o crescimento da safra recorde 2019/2020 conferiu ao Brasil o primeiro lugar no ranking de maior produtor mundial, com 126 milhões de toneladas produzidas do grão. O lugar até então era ocupado pelos Estados Unidos, que passou para a segunda posição. A China, por sua vez, segue sendo a maior compradora do produto.

Do ponto de vista da demanda, o desempenho do setor primário da economia frente aos demais se deve, principalmente, à necessidade de ofertar suprimentos para os mercados externo e interno, vez que são itens de primeira necessidade, considerados essenciais no contexto da pandemia. Nesse caso, ao contrário de alguns setores de serviços, que tiveram redução de atividades, o consumo de alimentos continua ocorrendo, independentemente da situação socioeconômica. As pessoas tendem a economizar e buscar substitutos para alguns itens, mas parar de consumir, jamais!

O Brasil é hoje o maior exportador de açúcar, café, suco de laranja, soja em grãos e carnes bovina e de frango. Isso mostra que o país tem sido um dos principais responsáveis no fornecimento de suprimentos tanto para o mercado externo quanto para o interno. Para além do seu impacto no PIB, a participação do setor tem sido crucial para o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus.

 

Edinéia Souza é economista, mestre em Desenvolvimento Regional e Agronegócio e professora do curso Gestão Integrada de Agronegócios da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) – Câmpus Toledo.

 

Foto: Antonio Costa

Compartilhe em suas redes sociais:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.