Consultor avalia projeção americana e diz que preços no Brasil permanecerão firmes

Compartilhar

 

#souagro | O USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), divulgou nesta quarta-feira, 31 de março, a projeção da área plantada da safra 2020/2021. O consultor do Portal Sou Agro e engenheiro agrônomo Modesto Daga, comenta que, com base nas estimativas da USDA, a perspectiva de produção americana vai ficar abaixo do consumo necessário aos americanos, abrindo a necessidade de exportação. Os preços no Brasil continuarão firmes.

Confirma a entrevista concedida pelo consultor do Portal Sou Agro, engenheiro agrônomo Modesto Daga:

A área estimada de cultivo durante o Fórum de Agricultura no dia 28 de fevereiro era de 36,4 milhões de hectares. O anúncio feito nesta quarta-feira em torno da área prevista para o plantio foi de 35,5 milhões de hectares, ou seja, praticamente um milhão de hectares a menos em relação à previsão feita durante o fórum nos Estados Unidos. “Somando a previsão de consumo com a de exportação, a quantidade de soja necessária para os Estados Unidos esse ano seria próxima a 123 milhões de toneladas, isso se utilizarmos como estimativa 36,4 milhões de hectares cultivados. Com a redução da área para 35,5 milhões de hectares, é possível que os americanos fechem uma produção final menor do que eles terão para consumo interno e exportação”, avalia Daga.

 

Tendências altíssimas

Para o consultor do Portal Sou Agro, como reflexo ao agronegócio brasileiro, significa dizer que os preços continuarão firmes, com tendências altíssimas, não só para a safra 2020/2021 já colhida, como para a perspectiva da safra 2021/2022. “Por isso, é preciso atenção por parte dos produtores rurais, para que não sejam enganados, pois se o dólar permanecer nos níveis atuais, teremos dois anos com preços da saca bem significativos e importantes para o desenvolvimento da atividade agropecuária”. (Vandré Dubiela/Sirlei Benetti)

 

Foto: Gilson Abreu/AEN

 

VEJA TAMBÉM

Área de plantio da safra americana fica abaixo do esperado pelo mercado

Milho: entre primeira e segunda safras, Paraná estima colher 16 milhões de ton.

Pedágio e ferrovia são os desafios de Alfredo Lang ao assumir a Cotriguaçu

 

Compartilhe em suas redes sociais:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.