ESPECIAIS

Mulheres fortalecem atuação no agro

Compartilhar

#souagro

 

Os primeiros passos em direção ao fortalecimento das ações da mulher no campo e o incentivo ao espírito de liderança foram dados nos dias 22 e 23 de fevereiro, na capital paranaense, por intermédio da criação da Comissão Estadual de Mulheres da FAEP.

No total, 15 produtoras rurais de diversas regiões do Estado iniciaram o planejamento estratégico para definição das metas de trabalho. O primeiro encontro, com formato de workshop, ocorreu com a troca de experiência e o compartilhamento de histórias de vida no meio rural. As mulheres também aproveitaram a oportunidade para iniciar o processo de criação da identidade visual da comissão.

Para a coordenadora da Comissão Estadual das Mulheres da FAEP, Lisiane Rocha Czech, à frente também do Sindicato Rural de Teixeira Soares, o trabalho é de grande responsabilidade e muita colaboração positiva.

“Quando recebi o convite para presidir esse movimento, foi uma surpresa muito boa, porque eu sentia que FAEP precisava ter um trabalho específico voltado para a liderança feminina. Tive receios, mas logo surgiu a ideia de formar esse grupo de coordenação, em que pude convidar mulheres representantes de todo o Estado para colaborar nesse processo de criação e, assim, crescermos e trabalharmos juntas”, destaca. “Queremos encorajar as mulheres, mostrar que elas têm um potencial que pode ser usado para ocupar espaços junto no sistema, em união com seus esposos, suas famílias e toda a classe de produtores rurais. O objetivo é somar”;

 

Dias de aprendizado

A presidente do Núcleo da Mulher do Sindicato Rural Patronal de Cascavel, Beatriz Orso, esteve entre as 15 mulheres que participaram do primeiro workshop presencial da comissão. “Foram dois dias de muito aprendizado, com a participação de mulheres muito ativas no agronegócio”, descreve. Para ela, a mulher está cada vez mais corajosa, com atuação efetiva em todos os cernes da agricultura e da pecuária. “A mulher não é mais aquela que servia apenas para cozinhar e levar marmita para quem estava colhendo ou plantando”, salienta. “Hoje, temos a mulher arregaçando as mangas e subindo em colheitadeiras e tratores para lidar com a lavoura”. Além disso, a mulher tem buscado aprender mais e se qualificar por meio de cursos oferecidos pelo Senar/FAEP.

 

Voz e vez das mulheres

De Rondon, no Noroeste do Paraná, a produtora rural Simone Carvalho Bossa de Paula, conta para o Portal Sou Agro que a criação da comissão estadual de mulheres do agronegócio era um sonho antigo das mulheres e da FAEP. “Essa mobilização surge em um momento ímpar para a agricultura e a pecuária do Paraná. A mulher está cada vez mais tomando seu espaço como líder no campo e sempre foi o braço direto do produtor”.

Como bom exemplo desta mudança, Simone citou a importância de “um lugar ao sol” inclusive na esfera federal, com a presença de uma mulher como ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, a engenheira agrônoma Tereza Cristina. O maior desafio, conforme Simone, é o de atrair um número maior de mulheres para participar da comissão. “Unidas, podemos ter voz e vez na sociedade”, diz Simone, que é esposa do vice-presidente do Sindicato Rural de Rondon, Orlando de Paula Júnior.

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.