Foto: MST

“Precisamos ver quem financia os crimes do MST”, diz representante da FPA sobre CPI das invasões de terras

Débora Damasceno
Débora Damasceno
Foto: MST

#souagro| Os membros da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga as invasões de terras privadas decidiram nesta quarta-feira (24) os primeiros requisitos de convocação ou convite para depoimentos na CPI. Com aproximadamente 130 pedidos já protocolados, a CPI promete aprofundar a investigação sobre o movimento e suas atividades.

A Comissão aprovou a convocação para esclarecimentos dos ministros do governo Lula, Carlos Fávaro (Agricultura), Paulo Teixeira (MDA), além do ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski. Lideranças do MST e de outros movimentos de luta agrária, como a FNL, também serão convocadas. As datas para os depoimentos ainda serão definidas.

 

Também foi solicitada a convocação do secretário de Segurança Pública de São Paulo, Guilherme Derrite, para explicar as invasões que ocorreram no Estado, bem como a de representantes da empresa Suzano – que teve fazendas invadidas no início do ano. Durante a reunião também foram propostas visitas técnicas aos locais de invasões.

Vice-presidente da CPI e membro da FPA, o deputado Kim Kataguiri (União -SP) apontou o que espera da comissão. “É necessário produzir um relatório que, não só aponte quem cometeu os crimes, mas também traga uma sugestão de legislação para que essas invasões não voltem a acontecer”.

Foram aprovados 11, dos 15 requerimentos apresentados durante a sessão desta quarta-feira. As convocações e convites para depoimento têm como objetivo obter informações para o andamento das investigações e a elaboração de um relatório conclusivo sobre as atividades dos grupos responsáveis pelas invasões.

Veja o que disseram os membros da Frente Parlamentar da Agropecuária:

Deputado Gustavo Gayer (PL-GO)“O objetivo aqui é justamente investigar um grupo armado, organizado e criminoso, que está destruindo as nossas terras e que está invadindo propriedades privadas, aterrorizando famílias no campo.”
Deputado Domingos Sávio (PL-MG)“É fundamental que a gente não tome nenhum posicionamento sem ver, sem ir no local, sem colher provas e informações essenciais para deliberar com justiça.”
Deputado Lucas Redecker (PSDB-RS)“Nós estamos aqui para fazer com que as terras sejam produtivas, não sejam invadidas, que aqueles que forem assentados tenham o direito de produzir e de ter a posse da sua terra.”
Deputado Marcos Pollon (PL-MS)“Estão acontecendo crimes e nós temos que apurar quem são os criminosos, quem fomenta esses crimes. Alguém está por trás disso e nós estamos investigando.”
Deputado Messias Donato (REP-ES)“A gente utiliza esse espaço da CPI para poder ceder a nossa voz para as famílias dos produtores rurais que estão com medo, vivendo um período de angústia, insegurança jurídica e psicológica.”
Deputado Delegado Éder Mauro – (PL-PA)“Têm aqueles que invadem área, aqueles que criam cárcere privado contra quem produz, que queimam imóvel de produtor e diz que são produtores de alimentos, são produtores de crime.”
Deputada Magda Mofatto (PL-GO)“Realmente precisamos fazer um levantamento para ver quem financia os crimes cometidos pelo MST.”

(Com FPA)

(Débora Damasceno/Sou Agro)

Entre em um
dos grupos!

Mais Lidas

Notícias Relacionadas