Amor incondicional: cachorrinha viaja mais de 50 km para visitar dono em hospital

Compartilhar

#souagro| Os cães são conhecidos como melhor amigo do homem e não é para menos, existem muitos motivos que deram a eles esse título. Uma das provas disso está na história que vamos contar hoje sobre uma cachorrinha que viajou quilômetros para ver seu dono doente.

O paciente Amarildo Carlos Ferreira, de 56 anos, está internado na Santa Casa de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, ele trata de uma cirrose hepática avançada, também é renal crônico dialítico e acumula outras internações do passado. O desejo do paciente foi rever sua cachorrinha e todo mundo se uniu para que isso fosse possível.

 

A Santa Casa de Campo Grande realizou uma ação que envolveu os Serviços de Geriatria e Cuidados Paliativos e a Comissão de Humanização do hospital, para que o encontro fosse possível.

A esposa manifestou que, como ele já era cadeirante há muito tempo, a cadelinha só ficava próxima dele em casa. Então, era muito importante esse reencontro”, explica a médica paliativista da Santa Casa, Fernanda Romeiro.

O pet, chamada de Lalá, também conhecida como “Lalinha” para os mais íntimos, veio diretamente de Bandeirantes, cidade em que mora a família, localizada a 58 km da Capital, especialmente para o reencontro. Ela chegou em Campo Grande, tomou um banho caprichado e aguardou para visitar o ‘amigo’ aqui no hospital.

 

O encontro da cachorrinha com o dono, aconteceu na Unidade de Terapia Intensiva Cardiovascular (UTI), leito onde Amarildo está internado. “Essa ação é importante porque conseguimos humanizar e individualizar o atendimento, levando em conta os pilares do cuidado paliativo, que é trazer qualidade de vida nos momentos que restam ao paciente”, ressalta Fernanda.

Se a gente não consegue devolver o paciente para o ambiente de casa, que poderia ser uma vontade dele, a gente tenta proporcionar um pedacinho disso aqui no hospital. Existe uma individualidade, você ver o seu pet que há anos é seu companheiro. Espero que essa ação abra portas para que a gente consiga fazer outras como essa”, complementa a médica paliativista.

 

De acordo com a supervisora médica do Serviço de Geriatria e Cuidados Paliativos, dra. Paskale Vargas, a Terapia Assistida por Animais (TAA), conhecida pelo mundo como Pet Terapia, é um tratamento auxiliar para diversos tipos de doenças, muito utilizado por, comprovadamente, promover o bem-estar e a saúde emocional, física, social e cognitiva em pacientes hospitalizados.

“A Pet Terapia é alternativa para tratar a ansiedade e depressão, a gente geralmente traz cachorros que são treinados para isso”, afirma a dra. Paskale Vargas. “A equipe proporcionou a humanização. A gente trouxe o cachorrinho do paciente, que é um serzinho que ele tem um vínculo, numa situação de fim de vida. É um paciente dialítico que foi solicitado a suspensão da diálise e está em processo ativo de morte. E o que a gente fez foi realizar um desejo de fim de vida”, finaliza a geriatra.

(Débora Damasceno/Sou Agro com Santa Casa de Campo Grande)

(Foto: Santa Casa de Campo Grande)

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.