Boa nutrição contribui para saúde dos suínos desde a gestação

Compartilhar

#souagro| A imunonutrição traz a sugestão de que existe uma relação entre a desnutrição e infecções de suínos.  Se para humanos a nutrição está relacionada com a digestão e absorção de nutrientes no trato gastrointestinal, com os animais não poderia ser diferente.  A nutrição está relacionada com a digestão e absorção de nutrientes no trato gastrointestinal, microbiota, sistema imune, órgãos relacionados a processos inflamatórios e seus efeitos secundários, sistema nervoso e produção de hormônios.

O trato gastrointestinal de suínos, além de ser responsável pela digestão e absorção, também é um órgão responsável pelas respostas imunes. Aproximadamente um quarto da mucosa intestinal é composta por tecido linfoide e mais de 70% deste são células do sistema imune. Assim, o desenvolvimento e maturação do sistema imune podem ser impactados por fatores externos (ambiente, manejo, condições sanitárias, dieta, etc) e inerentes ao próprio animal (genética, idade).

“Estes fatores também têm impacto sobre a microbiota e saúde intestinal. A microbiota intestinal desempenha diversas funções no organismo e tem um papel importante na comunicação bidirecional no eixo intestino-cérebro . Ou seja, o sistema nervoso central , via eixo hipotálamo-hipófise, pode ser ativado em resposta a fatores estressores e liberar cortisol. O cortisol afetará as células imunes, que iniciarão a liberação de citoquinas pró-infamatórias, que por sua vez, afetarão a permeabilidade intestinal, o que permitirá uma modificação na microbiota”, afirma, em artigo, Melina Bonato, Gerente de P&D, ICC Brazil.

 

Leitões recém-nascidos, por exemplo, dependem da imunidade materna passiva e da imunidade cong~enita adquirida para se desenvolver.

“O desenvolvimento das respostas imunes dos leitões inicia durante a gestação, porém não há transmissão de anticorpos ou imunoglobulinas via placenta. Por isso, estes animais são dependentes da ingestão de anticorpos maternais via colostro e leite. Assim, há vários fatores que podem influenciar na capacidade de transmissão de imunidade passiva das porcas para os leitões, como: genética, idade, nutrição, programa vacinal, ambiente – manejo, pressão de patógenos, fatores estressores, entre outros . Por outro lado, o desenvolvimento da imunidade específica nos leitões, que também será influenciado pelos mesmos fatores, é afetado criticamente pela idade ao desmame”, explica.

O desmame é um período desafiador para o leitão e os fatores estressores envolvem, principalmente, novo ambiente com nova interação social e mudança de dieta dos suínos. O desmame precoce ocorre quando o sistema imunológico do leitão está ainda imaturo e seus anticorpos circulantes atingem os níveis mais baixos, em torno de 28 dias.

 

“Ainda há muito a ser estudado sobre o eixo microbiota-intestino-cérebro, dada a complexidade dos fatores relacionados; porém, o uso dos imunonutrientes, isolados ou associados, para suplementação, traz benefícios já comprovados sobre a saúde, bem-estar, crescimento e produtividade. Por isso, conhecer o modo de ação destes é fundamental para o fazer os monitoramentos corretos, mensurar os benefícios esperados e quantificar o retorno sobre o investimento”, ressalta Melina.

 

(Tatiane Bertolino/Sou Agro)

Fonte: Artigo Conceitos de imunonutrição aplicados a suinocultura, por Melina Bonato, Gerente de P&D, ICC Brazil

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.