ESPECIAIS

Duas elefantas movimentaram a fronteira de Foz do Iguaçu

Compartilhar

#souagro | Dois animais passaram pela ponte da Fraternidade em Foz do Iguaçu nesta terça-feira (10). As elefantas Pocha e Guilhermina vieram da Argentina com destino ao  Santuário de Elefantes Brasil (SEB), na Chapada dos Guimarães, Mato Grosso.

Ao entrar no Brasil, os animais seguiram pela BR-469 até a Rua Itaboraí, na área rural do município, a fim de causar menos estresse aos animais e evitar problemas com o tráfego. Ao chegarem na BR-277, duas equipes da PRF continuaram o trajeto e irão guiar Pocha e Guillermina até o Santuário.

 

 

A movimentação iniciou ainda na madrugada, a operação para translado dos animais foi realizado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF). Eles tiveram apoio da Guarda Municipal de Foz do Iguaçu, da Foztrans e Diretoria Agropecuária. O contato com os consulados foi conduzido pela Diretoria de Assuntos Internacionais.

“Tudo correu conforme o esperado e com um trabalho integrado muito importante, onde todos os órgãos foram solícitos no atendimento e com muita agilidade. Vamos agora seguir com a viagem e chegar nessa nova casa de mãe e filha”, agradeceu Daniel Moura, biólogo e diretor do Santuário de Elefantes Brasil.

 

 

A nova vida de Pocha e Guillermina

As elefantas viviam no Ecoparque Mendoza, Argentina, que será desativado. No local não havia muito espaço para locomoção por conta dos muros de concreto que o cercam. No Santuário, terão um espaço de 1.100 hectares na floresta, além da companhia de outras cinco elefantas.

Pocha é a mãe e tem 55 anos. Ela chegou ao zoológico em 1968, vinda da Alemanha. Já Guillermina tem 22 anos e nasceu na Argentina, sem conhecer outro ambiente que não fossem as paredes de concreto.

De acordo com os biólogos do Santuário, há muita expectativa para a adaptação da família ao novo local, que será um momento de descoberta e oportunidades, principalmente para Guillermina, que terá um primeiro contato com o mundo natural.

Como a reserva não é aberta ao público, a nova vida de mãe e filha deverá ocorrer com tranquilidade, em um local destinado a proteger, resgatar e prover um santuário de ambiente natural para elefantes em cativeiro.

 

(Ageiél Machado com assessoria PMFI)

 

 

(Foto: assessoria PMFI)

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.