Paraná já sente o cheirinho da liderança na produção nacional de suínos

Compartilhar

 

#souagro | Sumidade nacional e porque não dizer internacional, quando o assunto é suinocultura, o diretor-executivo da Frimesa, Elias Zydek, forneceu números relevantes sobre o cenário da atividade no Brasil e no mundo, ao participar da Live do Portal Sou Agro, na noite de quinta-feira (22), com a jornalista Sirlei Benetti. Hoje, o Paraná é o segundo maior produtor de suínos do Brasil, atrás de Santa Catarina. “Em cinco anos, vamos assumir o topo da cadeia produtiva do Brasil”, disse Zydek. O Paraná responde por 21,1% de toda a produção nacional e a região oeste do Estado, 65,5% de tudo que é produzido no Paraná.

Antes de entende os ciclos da suinocultura, é preciso analisar o panorama mundial da atividade. “Não é só o que está porteira adentro que é capaz de decidir o sucesso ou o fracasso do setor. Dependemos muito desse mercado global”, cita Zydek.

Confira a entrevista com Elias Zydek:

O maior produtor de carne suína no mundo é a China, responsável por 50% de toda a proteína animal. Em 2020, foram produzidas 109 milhões de toneladas de suíno, metade, por conta dos chineses. “Em 2018 e 2019, a China passou pela incidência da doença chamada peste suína africana, obrigando-a a dizimar 35% de todo o seu rebanho suíno. Esse montante representou 20% de toda a produção mundial, e ninguém estava preparado para preencher essa lacuna. “Esse fato causou um desarranjo mundial da cadeia produtiva de suínos”. Com isso, a China se viu obrigada a comprar mais carne de boi e de frango.

 

 

Produção brasileira de suínos

No ano passado, o Brasil produziu 4,5 milhões de toneladas de carne suína. Do total, foi exportado 1,1 milhão de toneladas, ou seja, 23% do que produzimos cruzou o oceano para atender o mercado internacional.  Um recorde na exportação dessa importante proteína animal. Em relação às carnes como um todo, o Brasil representa 3% de toda a produção e de suínos, apenas 1%. Os maiores exportadores no mundo são a Comunidade Europeia, Estados Unidos e em terceiro, o Brasil. “É importante frisar que apenas 8% da produção transita entre os países. O restante é para garantir a segurança alimentar e a subsistência”.

 

Consumo per capita em ascensão

A presença da carne suína no prato do brasileiro tem aumentando nos últimos tempos, depois de um período difícil. Em 2015, a média per capita de consumo anua era de 14 quilos, hoje, subiu para 15,2 quilos por habitante e em dois anos, o desafio é chegar a 17 quilos per capita. “Se isso ocorrer e estamos torcendo para isso, será preciso elevar a produção em 400 mil toneladas”, calcula Elias Zydek.

(Vandré Dubiela/Sou Agro)

 

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.