O drama do setor leiteiro

Compartilhar

 

#souagro | O cenário do leite para o produtor não é um dos mais animadores. O mais recente boletim emitido pela Conab (Companhia Nacional do Abastecimento), mostra que os altos custos de produção tender a impactar as margens de rentabilidade tanto para o produtor como para as indústrias.

Mesmo com o aumento do custo do leite para o consumidor, alto em torno de R$ 0,30 centavos por litro. Os valores seguem em alta no mercado por conta da redução da oferta nas regiões produtoras, por conta do período considerado o mais seco do ano. No Paraná, a relação de troca leite/milho aumentou em relação a maio, mas é 26,5% inferior quando comparado a junho de 2020, ou seja, menor poder de troca do produtor de leite em milho nesta safra. Quanto ao farelo de soja, a relação de troca vem melhorando pelo quinto mês consecutivo, mas ainda abaixo do que já foi observado em períodos anteriores.

Os danos ocasionados pelas geadas no milho podem voltar a prejudicar o setor leiteiro, uma vez que o produto utilizado como insumo principal é o grão, gerando o encarecimento de custos. No mercado internacional, apesar da tendência de queda no valor do leite, as cotações continuam em níveis elevados, o que colabora para manter os preços internos valorizados. No primeiro semestre deste ano, o país já exportou o equivalente a 72% do valor total de 2020, chegando a US$ 54,8 milhões no acumulado até junho. É o melhor desempenho do Brasil nesse mesmo período nos últimos quatro anos. Apesar da valorização das commodities lácteas no mercado internacional, a produção de leite de vaca não deve apresentar um crescimento expressivo em 2021, limitada, entre outros fatores, pela alta dos custos com a alimentação dos rebanhos e as condições de clima no Hemisfério Sul, além de efeitos relacionados à economia devido à Covid-19.

A produção de leite sob inspeção no Brasil no primeiro trimestre é 1,8% superior ao primeiro trimestre de 2020. Apesar do cenário agravado por fatores climáticos, que prejudicaram a qualidade das pastagens e silagens, além do elevado custo do milho, a captação de leite dirige-se para ser levemente superior aos últimos anos. Em 2020, a produção total chegou a 25,5 bilhões de litros no país.

Com a finalidade de garantir rentabilidade aos produtores de leite, o governo brasileiro atualizou os preços mínimos do leite in natura, por intermédio de Portaria publicada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Os preços em vigor são de R$ 1,48 (o litro) para as Regiões Sul e Sudeste, R$ 1,39 para o Nordeste, R$ 1,34 para o Centro-Oeste (exceto MT) e R$ 1,21 para a Região Norte e o estado de Mato Grosso.

(Sou Agro, com informações da Conab e agências)

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.