ESPECIAIS

Café da manhã mais caro

Compartilhar

 

O custo da cesta básica teve redução em dois municípios do Sudoeste do Paraná no mês de junho: é o que indica pesquisa desenvolvida pelo Grupo de Pesquisa em Economia, Agricultura e Desenvolvimento ligado ao curso de Ciências Econômicas da Universidade Estadual do Oeste do Paraná, campus de Francisco Beltrão e instituições parceiras. Essa pesquisa acontece mensalmente nos munícipios de Francisco Beltrão, Pato Branco e Dois Vizinhos.

Os dados da pesquisa evidenciaram que, em junho, o preço da cesta básica individual mais elevada foi a de Dois Vizinhos, R$ 488,03, seguida de Francisco Beltrão, R$ 478,94. Já a de menor custo foi a de Pato Branco, R$ 459,27. Assim, houve redução no valor da cesta de R$ 2,46 (-0,51%) em Francisco Beltrão e R$ 9,32 (-1,99) em Pato Branco, e um pequeno aumento em Dois Vizinhos R$ 1,64 (0,34%) em comparação com o mês anterior.

Nessas cidades, os alimentos que tiveram elevação nos preços foram o açúcar, café, tomate, pão e o leite, já as retrações aconteceram nos preços da carne bovina de primeira, do feijão preto, da batata e da banana. O litro de leite teve aumento de 6,95% em Dois Vizinhos, 1,68% em Francisco Beltrão e 8,90% em Pato Branco, resultado da baixa oferta em função da entressafra do leite, o clima seco e os maiores custos de produção.

Assim como o litro do leite, o preço quilo médio do açúcar tipo cristal também apresentou alta nas três cidades do Sudoeste: Dois Vizinhos (15,36%), Francisco Beltrão (11,10%) e Pato Branco (10,92%). Segundo o Dieese, a alta no preço do açúcar advém da “menor produtividade nos canaviais brasileiros” conjugada às exportações aquecidas.

O óleo de soja teve elevação apenas em Pato Branco (1,61%), enquanto em Dois Vizinhos e em Francisco Beltrão o movimento foi de queda relativamente moderada (-0,70%) e (-0,08%), respectivamente. De acordo com o Dieese, “apesar do recuo nos preços da soja, devido às desvalorizações do dólar e à menor demanda de óleo para produção de biocombustível, no varejo, o produto seguiu em movimento de alta”. Nesse sentido, as altas refletem ainda as dificuldades do setor alimentício em obter a matéria-prima.

Nas cidades pesquisadas, o preço médio do quilo da carne bovina se manteve estável ou queda moderada, em Francisco Beltrão a elevação foi de (0,04%) enquanto em Dois Vizinhos teve queda de (-0,18%) e em Pato Branco de (-0,71%). Já o café em pó apresentou aumento de preço médio nas três cidades, (5,14%) em Dois Vizinhos, (6,64%) em Francisco Beltrão e (5,18%) em Pato Branco. A pesquisa aponta que tal comportamento seja reflexo da retração da oferta e do clima desfavorável para a lavoura.

Os alimentos que tiveram reduções nos preços nas cidades pesquisadas foram a banana, que ficou entre (-4,05%) em Francisco Beltrão e (-26,47%) em Pato Branco e a batata, que variou de (-14,70%) em Dois Vizinhos a (-34,06%) em Francisco Beltrão. Para ambos os produtos, o aumento da oferta acompanhado da queda da demanda (caso da batata) ou manutenção (caso da banana), explicam a referida variação nos preços.

 

Fonte: Unioeste

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.