VALTER PITOL: Custo da logística de transporte é o principal gargalo

Compartilhar

 

#souagro | Após um ano desafiador para o agronegócio brasileiro, mesmo com alto custo para manutenção das atividades provocado pela supervalorização das commodities, a solidez dos negócios da Copacol levou a um saldo positivo. O faturamento cresceu 30% de um ano a outro, chegando a quase R$ 5,7 bilhões, com uma sobra recorde de R$ 120,3 milhões dividida entre os cooperados e ainda uma reserva de R$ 30 milhões aplicada em avicultura, suinocultura e piscicultura. Segundo o presidente da Copacol, Valter Pitol, o maior desafio ainda é o custo elevado da logística para o transporte de grãos e de proteína animal até o Porto de Paranaguá.

Com a demanda por alimentos no mundo, a participação nas exportações também aumentou, reforçando a marca dentro e fora do País. A meta este ano é chegar a R$ 6,5 bilhões.

A Copacol mantém planejamento estratégico para 2021, gerando valorização das atividades e desenvolvimento regional. São mais de R$ 400 milhões em obras. Para crescer é fundamental investir. Mesmo com a pandemia, a cooperativa segue com visão estratégica para proporcionar oportunidades a cada um cooperados. “Além dos planos já estabelecidos, estamos definindo nossos futuros investimentos para os próximos cinco anos. Esse processo amplia os negócios da Cooperativa e garante maior faturamento na propriedade”, destaca o presidente da Copacol.

Produção de peixes

Para chegar a 250 mil tilápias abatidas por dia até 2025 nas duas Unidades Industriais de Peixes, a Copacol planeja a ampliação da fábrica de rações e uma nova UPA (Unidade Produtora de Alevinos). Os investimentos possibilitarão até 2023 ampliar as vagas no mercado de trabalho na recém-adquirida Unidade Industrial de Toledo.

 

CONFIRA A ENTREVISTA COMPLETA COM O PRESIDENTE DA COPACOL, VALTER PITOL:

 

 

Suínos

Para atingir a meta de 600 mil leitões entregues ao ano à Frimesa, também será preciso uma nova fábrica de rações. Além disso, a construção da Unidade de Produção de Desmamados, para 10 mil matrizes, já está na fase de terraplenagem em Jesuítas. Com essas ações, cooperados tiveram condições de ingressar na atividade, diversificando as fontes de renda nas propriedades.

Além de amplos investimentos na Piscicultura e na Suinocultura, para 2021 está estabelecido no Plano de Atividades a construção de Unidades de Recebimento de Grãos, reestruturação da produção de sementes e armazenagem refrigerada e construção de uma nova sala de cortes na Unidade Industrial de Aves em Cafelândia.

 

Fonte: Comunicação Copacol

 

Compartilhe em suas redes sociais:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.