Notificação de pragas passa a ser obrigatória no Paraná

Compartilhar

 

A Agência de Defesa Agropecuária do Paraná passou a exigir, desde o fim de fevereiro, que produtores e/ou responsáveis técnicos façam obrigatoriamente a notificação de pragas nas lavouras em algumas circunstâncias específicas. A medida vale para pragas sem ocorrência no país e/ou no Estado; resistentes a defensivos agrícolas; em área oficialmente reconhecida como livre de sua ocorrência ou então que estejam em situação de surto.

A Portaria 63, de fevereiro de 2021, que regulamenta essa novidade ao campo paranaense, delega a tarefa de comunicar ao órgão de vigilância sanitária aos seguintes públicos: profissionais das ciências agrárias, da iniciativa pública ou privada, na condição de assessores, assistentes, consultores, extensionistas, responsáveis técnicos, pesquisadores ou produtores rurais.

“A notificação é de suma importância para embasar ações preventivas, para evitar a disseminação de pragas e, no caso de defensivos agrícolas, identificar possíveis resistência de pragas a esses produtos, contribuindo para que junto à pesquisa se busque outra alternativa para que o manejo seja eficiente”, aponta Elisângeles Souza, técnica do Departamento Técnico e Econômico do Sistema FAEP/SENAR-PR.

A averiguação da notificação será feita por um fiscal de defesa agropecuária da unidade local da Adapar onde foi feita a ocorrência, como explica Renato Rezende Young Blood, gerente de sanidade vegetal da Agência. “Nossa intenção é ajudar o produtor, dar todo o suporte técnico e científico, acionando universidades e institutos de pesquisa, para conter a praga e diminuir as chances de ela se espalhar. A recomendação é se o produtor ou responsável técnico ver algo diferente, imediatamente entre em contato fazendo o preenchimento do formulário disponível no nosso site”, destaca.

Blood revela que a ideia de implantar o formulário ocorreu com base em experiências com pragas nos últimos anos, principalmente o enfezamento do milho (que tem como vetor a cigarrinha) e o aparecimento de uma nova lagarta que ataca a soja, a Helicoverpa armigera. “Essa medida de notificação obrigatória visa termos uma resposta ágil para que possamos ou erradicar a praga em uma região localizada ou ao menos retardar ao máximo sua propagação e, assim, diminuir prejuízos como os que foram causados por essas pragas no Paraná”, completa o gerente na Adapar.

 

Serviço

Para fazer a notificação, basta usar o Formulário de Notificação Obrigatória de Ocorrências Fitossanitárias, disponível no site www.adapar.pr.gov.br

 

Fonte: AEN

 

Compartilhe em suas redes sociais:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.