MP cobra medidas sobre deriva nas aplicações com agrotóxicos

Compartilhar

 

A Agência de Defesa Agropecuária do Paraná promove neste mês um webinar sobre deriva de agrotóxicos e proteção de abelhas. Os encontros online acontecem dias 7 e 14 de junho, sempre com início às 10 horas.

Deriva é o desvio de gotas de produtos químicos que, durante a aplicação em grandes lavouras, se espalham em direções indesejáveis. Os reflexos mais sérios desse processo acontecem na apicultura, além de sericultura, fruticultura, particularmente a uva e cultivos orgânicos.

O webinar tem como público-alvo profissionais que prescrevem agrotóxicos, comerciantes, aplicadores e produtores rurais. O encontro tem por objetivo construir o diálogo com o público-alvo, relatar informações e estatísticas de uso de agrotóxicos, riscos e impactos; troca de experiências e riscos a culturas sensíveis a agrotóxicos e a responsabilidade de cada um dos atores nesse cenário.

O encontro também pretende apresentar alternativas técnicas para a redução da deriva e danos causados e estreitar o relacionamento entre a Adapar, parceiros e público-alvo no tema.

As abelhas são os principais agentes polinizadores, tanto dos remanescentes de áreas nativas quanto de cultivos, sendo responsáveis por até 90% da polinização das plantas, dependendo do ecossistema considerado.

Em função da intensa ocupação do ambiente pelo homem e da consequência das atividades humanas, as abelhas constituem um grupo muito susceptível à perda de seus habitats, por exigirem uma grande área florestada e por estarem sujeitas à ação de agrotóxicos em áreas agrícolas próximas a seus habitats.

 

STJ derruba liminar sobre prevalência da Mata Atlântica

Colheita da safrinha inicia com estimativa de queda de volume e saca valorizada

 

O problema da deriva de agrotóxicos, aliada à disponibilização de novos ingredientes ativos, vem se intensificando nas duas últimas décadas, com demandas cada vez mais frequentes e reflexos mais sérios nas cadeias de fruticultura (uva), sericicultura, cultivos orgânicos e apicultura.

O Ministério Público emitiu recomendação administrativa para que a Adapar e o CREA-PR (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná) adotem as medidas necessárias para a instrução dos técnicos e dos agricultores quanto aos cuidados na utilização de agrotóxicos na floração da soja e outras culturas de alimentos.

O sistema estadual de agricultura tem o desafio de coordenar ações para combate a esses problemas. A Secretaria da Agricultura e do Abastecimento e suas vinculadas – a Adapar e o Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná –Iapar-Emater (IDR-Paraná) – vêm desenvolvendo ações de assistência técnica, fiscalização, capacitação e conscientização dos agricultores quanto à necessidade de cuidados nas aplicações de agrotóxicos, e trabalha para aprimorar suas ações educativas para técnicos e produtores rurais.

Entre as medidas já adotadas, foi instituído, por portaria da Adapar, um grupo técnico formado por entidades públicas e privadas com objetivo de definir e recomendar técnicas e condições adequadas de uso e aplicação de agrotóxicos, que poderão ser normatizadas após discussão e contribuições por meio de consulta pública.

 

CLIQUE AQUI E INSCREVA-SE PARA O WEBINAR

 

Fonte: AEN

 

Foto: Adapar

 

Compartilhe em suas redes sociais:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.