De olho na China, frigoríficos tentam pressionar pecuaristas

Compartilhar

O mercado físico de boi gordo apresentou preços pouco alterados nas principais regiões de produção e comercialização do país na quarta semana de junho. Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, a oferta de animais terminados permanece discreta, ditando o ritmo dos negócios. “Mesmo com algum conforto das escalas de abate em determinadas regiões do país, os frigoríficos não conseguiram exercer pressão sobre o mercado”, assinalou Iglesias.

O ritmo de embarques de carne bovina no decorrer do mês de junho segue positivo, ainda com um bom volume de exportação destinado ao mercado chinês. “Entretanto, este resultado faz menção a contratos firmados anteriormente. A preocupação com a constante queda dos preços na China diz respeito ao desempenho das exportações brasileiras de proteína animal no segundo semestre e em 2022. Com preços mais baixos dentro do mercado chinês, não há necessidade de pagar tão caro pela proteína animal e possivelmente não haverá necessidade de aquisição de volumes tão expressivos”, alertou o analista.

Já no mercado atacadista, os preços da carne bovina seguem acomodados. Conforme Iglesias, a tendência é que haja maior espaço para reajustes no período de virada de mês, período que conta com maior apelo ao consumo, considerando a entrada dos salários na economia como motivador da reposição entre atacado e varejo. “É importante mencionar que a carne de frango ainda dispõe da preferência do consumidor médio, algo natural com as atuais circunstâncias envolvendo emprego e renda”, disse Iglesias.

Com isso, os preços a arroba do boi gordo na modalidade a prazo nas principais praças de comercialização do País estavam assim no dia 24 de junho:

* São Paulo (Capital) – R$ 320,00 a arroba, contra R$ 322,00 a arroba em 17 de junho, caindo 0,62%.

* Minas Gerais (Uberaba) – R$ 313,00 a arroba, contra R$ 312,00 (+0,32%).

* Goiânia (Goiás) – R$ 305,00 a arroba, estável.

* Mato Grosso do Sul (Dourados) – R$ 315,00 a arroba, contra R$ 312,00 a arroba (+0,96%)

* Mato Grosso (Cuiabá) – R$ 310,00 a arroba, estável.

Fonte: Safras

Foto: Divulgação

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.