Vem aí o Diesel Verde

Compartilhar

 

Foi publicado no Diário Oficial da União desta segunda-feira, 17, a resolução aprovada pela diretoria da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis sobre as especificações do diesel verde, um novo biocombustível, que deverá ser comercializado em território nacional.

Em comunicado divulgado nesta segunda, a Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove), parabenizou a diretoria pela resolução e disse que as especificações apresentadas não possibilitam classificar o diesel verde como biodiesel. A entidade disse, ainda, que a resolução contribui para a produção de combustíveis mais sustentáveis no Brasil.

“O documento é um divisor de águas para os combustíveis renováveis no Brasil, estabelecendo de forma clara e objetiva o que é o diesel verde. Uma sinalização fundamental para todos os interessados no desenvolvimento do país e na descarbonização verdadeira do planeta”, diz, na nota, Vicente Pimenta, consultor técnico da Abiove.

 

Área plantada com morango cresce 69% no Estado

Produtor de feijão perde 100% da plantação

 

A Abiove complementa afirmando que a decisão segue critérios científicos e internacionais e coloca o Brasil em condições de desenvolver a rota bioenergética, a qual tem potencial de aumentar a parcela de renováveis na matriz de combustíveis nacional e de reduzir a intensidade de carbono do diesel comercial em complemento ao B20, o qual se prevê adoção gradual até 2028.

A Resolução da ANP produziu um documento técnico que valoriza os biocombustíveis em suas diversas rotas de produção deixando expresso que se trata de uma bioenergia derivada de matéria-prima 100% renovável (óleos e gorduras, cana de açúcar, etanol, isobutanol e biomassa de forma geral, e a partir de rotas tecnológicos como o hidrotratamento (produz o HVO), fermentação, oligomerização, Fischer-Tropsh e hidrotermólise, do qual são gerados hidrocarbonetos parafínicos como produto final.

De acordo com o texto, o diesel verde fica definido como “biocombustível composto por hidrocarbonetos parafínicos destinado a veículos dotados de motores do ciclo diesel” e produzido a partir das seguintes rotas:

I – hidrotratamento de óleo vegetal e animal;

II – gás de síntese proveniente de biomassa;

III – fermentação do caldo de cana-de-açúcar; e

IV – oligomerização de álcool elico (etanol) ou isobulico (isobutanol).

 

Segundo a ANP, é um combustível renovável para motores a combustão de ciclo diesel, produzido a partir de matérias-primas renováveis, como gorduras de origem vegetal e animal, cana-de-açúcar, etanol e outras biomassas. A agência ressalta que a publicação das especificações representa o primeiro passo na introdução do diesel verde no Brasil.

 

(Com Canal Rural)

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.