Adapar fortalece serviço de fiscalização agropecuária

Compartilhar

 

A preservação da sanidade do rebanho paranaense e a sustentação da condição sanitária do Paraná como área livre de febre aftosa sem vacinação contam com o intenso trabalho de servidores da Adapar (Agência de Defesa Agropecuária do Paraná). Atuante em Unidades Locais, Postos de Fiscalização e laboratório de pesquisa, a equipe tem papel fundamental no novo desafio que o reconhecimento internacional pela OIE (Organização Mundial da Saúde Animal) traz para o Estado.

O próximo passo do governo estadual é investir no fortalecimento da vigilância veterinária, com a manutenção e ampliação de melhorias. Uma das principais ações após a conquista do novo status deve ser o aprimoramento sistemático dos cadastros das propriedades rurais, contemplando dados das explorações pecuárias de todas as espécies suscetíveis, incluindo o geoposicionamento e o fortalecimento dos mecanismos de controle da movimentação de animais.

“Por isso é importante a participação efetiva dos produtores na Campanha de Atualização de Rebanhos, que neste ano encerra-se em 30 de junho. Com isso, temos um grande volume de informações para realizar o controle e a fiscalização do rebanho no estado e agir rapidamente em eventuais casos de focos de qualquer doença”, explica o diretor-presidente da Adapar, Otamir Cesar Martins.

Esse processo inclui a modernização das formas de comunicação com os produtores rurais e dos sistemas on-line para a atualização de rebanhos. Atualmente, tanto a atualização quanto a emissão da Guia de Trânsito Animal (GTA) podem ser feitas pela internet. Além disso, recentemente, o sistema Reida (Rede Estadual de Informações em Defesa Agropecuária) recebeu um novo módulo desenvolvido pela Celepar que amplia os serviços oferecidos pelo órgão, trazendo mais agilidade e facilidade na gestão de informações.

 

Ministra comemora as certificações de estados junto à OIE

Cerimônia em comemoração a conquista de Área Livre de Aftosa Sem Vacinação

“Conquistamos uma espécie de passaporte para a produção paranaense”, diz Ortigara

 

Outra importante frente de trabalho é o fortalecimento do sistema de vigilância com a realização periódica de análises e estudos para identificar as áreas e os estabelecimentos de maior risco para a introdução da febre aftosa. A previsão é que se intensifique o número de vistorias de animais nos estabelecimentos rurais, principalmente nos de maior risco, como os de regiões de divisa e fronteira, visando à ampliação da vigilância ativa.

O aumento da sensibilidade do sistema de vigilância pressupõe maior participação da comunidade na notificação de suspeitas da doença. Para fazer frente a este desafio, a Adapar está investindo no desenvolvimento do Programa de Gestão de Competências, iniciativa que já mapeou e estabeleceu quatro competências institucionais essenciais a serem desenvolvidas: Comunicação, Trabalho em Rede, Trabalho em Equipe e Foco no Resultado.

 

Fonte: AEN

 

Foto: Geraldo Bubniak

 

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.