Crescem casos de raiva em Cascavel

Compartilhar

 

#souagro | O número de casos de raiva bovina subiu para seis em Cascavel. O alerta é da unidade regional da Adapar (Agência de Defesa Agropecuária do Paraná). O primeiro caso foi registrado no dia 26 de março, na localidade de Colônia Barreiros, próximo à BR-369, sentido Corbélia. Agora, a médica veterinária da Unidade Local de Sanidade Agropecuária em Cascavel, Luciana Monteiro, revelou ao Portal Sou Agro a existência de novos casos da zoonose no Reassentamento São Francisco, Lago Azul, Melissa, Centralito, Colônia Esperança e Distrito de São João. “Todos os produtores com bovinos, equinos, ovinos e caprinos devem vacinar os animais e fazer o reforço 30 dias depois”, salienta a médica veterinária Luciana Monteiro. Produtores que tomarem conhecimento sobre a existência de possíveis abrigos de morcegos, a recomendação é a de comunicar a Unidade Local de Sanidade Agropecuária de Cascavel.

Dez anos depois, Cascavel volta a registrar caso de raiva bovina

Vacinação é método eficaz para prevenir casos de raiva bovina

A Secretaria de Saúde orienta que as pessoas que nos últimos meses tiveram contato com a saliva desses animais (suspeitos ou confirmados) com as mãos desprotegidas, procurem atendimento médico (USF Lago Azul e na UPA Veneza nos finais de semana ou assistência particular), para que um médico avalie a necessidade da vacinação antirrábica. Mantenha os cães e gatos vacinados e procure atendimento médico em caso de mordidas ou arranhões por cães, gatos e morcegos. O último caso de raiva registrado em Cascavel ocorreu há 10 anos.

Transmitida principalmente pela espécie de morcego hematófago (se alimenta de sangue) Desmodus rotundus, a zoonose (que também passa para humanos) precisa ser dada atenção.

A raiva é causada por um vírus e pode ser adquirida por todos os mamíferos. O morcego geralmente ataca animais em locais abertos, devido à facilidade. Eles mordem a presa e sugam o sangue. Se o animal não está imunizado, ele é contaminado com o vírus, que possui um período de incubação bastante variável. “Nos morcegos, por exemplo, pode demorar até 250 dias até aparecer os primeiros sinais. Nos bovinos, pode variar de 30 a 90 dias.

O número do telefone de contato do Setor de Zoonoses para orientações é o (45) 3902-1769 ou plantão 98804-7211.

(Vandré Dubiela)

 

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.