Biopark impressiona comitiva de engenheiros agrônomos

Compartilhar

 

#souagro | Engenheiros agrônomos da AREAC (Associação Regional dos Engenheiros Agrônomos de Cascavel) tiveram uma manhã de sexta-feira (23) de conhecimento e imersão às novas tecnologias sobre o que vem por aí na profissão e no agronegócio. A vitrine foi o Biopark, em Toledo.

A comitiva, liderada pelo presidente da AREAC, Cesar Davi Veronese, recebeu o convite para conhecer como será o projeto de um dos maiores centros de difusão de tecnologia e pesquisa do oeste do Paraná, que já é conhecido como o Vale do Silício Brasileiro, em alusão ao lugar homônimo situada no Baía de São Francisco, na Califórnia (Estados Unidos). Os primeiros tijolos começaram a ser colocados em 2016. Hoje, o local recebe diariamente 1.200 pessoas entre profissionais das 117 empresas estabelecidas no local e estudantes da UTFPR (Universidade Tecnológica Federal do Paraná). O Biopark está há poucos minutos da área central de Toledo, distante 15 quilômetros. Do total de empresas já sediadas no Biopark, pelo menos 30 estão ligadas ao agronegócio.

As boas-vindas foram dadas por Rogerio Tavares Ferreira, da área comercial, por Paulo Victor de Almeida, diretor de Negócio e pelo proprietário do Biopark, Luiz Donaduzzi. O Biopark é um território de mais de 5 milhões de metros quadrados que contempla, além de um Parque Tecnológico de 4º geração, setores organizados que permitem o desenvolvimento de áreas residenciais, comerciais e industriais. Em termos de oportunidades, o Biopark se caracteriza hoje como um Ecossistema de negócios – que oferece benefícios únicos para empresas; como um Polo Educacional com quatro universidades de alto padrão-, três federais (UFPR, UTFPR e IFPR); como um Centro de Pesquisas com dezenas de laboratórios já em funcionamento; e como uma área promissora para investimentos imobiliários.

 

Confira o vídeo da visita dos diretores da AREAC ao Biopark:

 

Smart Farm

O presidente da AREAC, engenheiro agrônomo Cesar Veronese, se diz impressionado com a estrutura já existente e os projetos ainda em fase de implantação. “Ficamos mais entusiasmados ainda com o número de empresas do agronegócio existentes no Biopark e com o campo de oportunidades que ainda há pela frente”.

A Smart Farm também surpreendeu a comitiva. Trata-se de uma ampla área de difusão de tecnologia e conhecimento e que terá como desafio, fazer com que a região oeste produza mais, sem a necessidade de expansão de áreas, apenas aproveitando o potencial já existente. “Nos colocamos à disposição para colaborar com as pesquisas e na implantação de um curso de agronomia diferenciado, avançado e voltado a novos experimentos tecnológicos”.

 

Biopark: de energia eólica à realidade aumentada

 

Os projetos do Biopark são arrojados: em 25, 30 anos, conta com uma população de 75 mil pessoas, gerar mais de 30 mil empregos e abrigar 500 empresas. Será um lugar para morar, fazer negócios e estudar. A ‘cidade sustentável’ também contará com um moderno complexo hospital, com 160 leitos. Dentro do aspecto relacionado à infra-estrutura, o Biopark terá shopping center, panificadora, supermercado, farmácia e tudo relacionado à prestação de serviço. A comitiva representada pela AREAC contou ainda com a participação do diretor de Política Profissional, Andrei Mori; diretor-Técnico, Airton Cittolin ; diretor-Financeiro, Mário Cesar Pereira e o diretor de Esportes, Alceu Pedron, além de Ênio Walcker.  Ao fim da visita, os membros da diretoria foram agraciados com um produto proveniente da queijaria existente no Biopark.

(Vandré Dubiela)

 

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.