Ministra deve responder nesta sexta se prorroga janela de plantio do milho

Compartilhar

 

#souagro

 

Os estados do Paraná e Mato Grosso, que solicitaram ao ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA), a extensão do prazo do zoneamento agrícola do milho, devem ter resposta da ministra nesta sexta feira (05). Conforme adiantou o secretário de agricultura do Paraná, Norberto Ortigara, em entrevista para o Sou Agro na quarta feira, a situação é bastante delicada no estado por conta do atraso do plantio da 2ª safra.

Milho: Ortigara faz apelo à ministra por compartilhamento de risco

De acordo com ele, o Brasil e o Paraná “são muito dependentes da segunda safra”. O consumo é crescente e as cadeias alimentares precisam muito desse insumo, para atender a produção de porco, frango, peixe e o rebanho leiteiro. “O mercado internacional quer o nosso milho e a estimativa é a de exportar acima de 35 milhões de toneladas de grão de milho”.

A cadeia alimentar da pecuária está prestes a sofrer um baque grande. Em virtude do atraso no plantio da soja, ocorreu atraso na colheita, empurrando a semeadura do milho para o fim da janela ou para um período sem janela, de escuridão”. Nesta semana, o milho chegou a 28% plantados em uma área total de 2,3 milhões de hectares no Estado. “Nem um terço plantando, isso é algo inimaginável para o mês de março, pois em ano anteriores, nessa mesma época, o plantio já havia atingido 70% da área plantada”, compara o secretário.

O impasse a agora é com relação ao rigor técnico e depois de várias tentativas de ajustes no zoneamento climático. “Não é porque atrasou que vou mudar o zoneamento, dando a conotação de perda de credibilidade no mercado”. A semeadura do milho também está atrasada no Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, São Paulo e Minas Gerais.

 

Impactos

Alterações no Zoneamento Agrícola causam impactos ao Banco Central (BC), que é gestor do Proagro, à Secretaria de Política Agrícola (SPA), gestora do Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR) e também ao Tesouro Nacional, que é fonte das subvenções. Dessa forma, solicitações de mudanças precisam ser analisadas pelo Ministério da Economia e pelo BC, além da equipe técnica do Ministério da Agricultura. Via de regra, o zoneamento não sofre modificações com a safra em andamento.

Foto – Agência Brasil

Compartilhe em suas redes sociais:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.