Ministério da Agricultura veta prorrogação de zoneamento do milho safrinha

Compartilhar

 

#souagro | As suspeitas manifestadas com exclusividade à equipe do Sou Agro pelo secretário de Agricultura e Abastecimento do Paraná, Norberto Ortigara, se confirmaram. Em nota datada de 12 de março (hoje), o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento negou o pedido de prorrogação de dez dias do período de semeadura do milho de segunda safra, estabelecido pelo Zarc (Zoneamento Agrícola de Risco Climático), feito em conjunto pela FAEP, SEAB e OCEPAR no dia 26 de fevereiro.

O pedido encaminhado pelas entidades paranaenses teve caráter excepcional, ante os entraves para o plantio do milho de segunda safra no período fixado pelo zoneamento. É um efeito dominó ocasionado pelo atraso no plantio da soja, em 2020. Conforme as entidades, a não prorrogação vai gerar impactos econômicos e desestimular a semeadura, gerando queda na produção e ameaçando as cadeias produtivas que dependem desse principal insumo aos animais, principalmente aves e suínos.

A negativa veio por meio da Nota Técnica 4/2021, emitida pela Coordenação Geral de Risco Agropecuário, da Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Pela análise, o zoneamento não é proibitivo, mas faz parte de um critério para que os produtores tenham acesso ao Programa de Garantia da Atividade Agropecuária, o Proagro e ao Programa de Subvenção ao Seguro Rural. Neste caso, os agricultores podem até realizar o plantio fora do período, mas vão perder a proteção desses programas. Na Nota Técnica, ainda há a informação de que os plantios feito fora da janela no Centro-Sul do Brasil resulta em colheitas inadequadas de temperatura e umidade, gerando perdas nas lavouras.

“Alterações não fundamentadas nesses parâmetros de risco trazem insegurança às relações e maiores incertezas nas estimativas calculadas de perdas potenciais para cada safra nas carteiras das seguradoras e resseguradoras. Além disso, ressaltamos que as seguradoras habilitadas no PSR e as empresas resseguradoras (…) se manifestaram formalmente no sentido de que não aceitariam riscos fora da janela preestabelecida”, conforme citação na nota. A Coordenação Geral de Risco Agropecuário informou que, ainda em 2021, vai desenvolver o Zoneamento de Produtividade (ZarcPro), para as culturas do milho e da soja, que indicará os níveis de produtividade esperada, de modo a otimizar os mecanismos vigentes.

“As informações do ZarcPro vão gerar novas possibilidades para a criação de produtos de seguro rural e Proagro mais adequados para diferentes realidades no campo (ambientes, épocas e nível tecnológico: mais ou menos produtivo)”. (Vandré Dubiela, com informações do MAPA)

 

Foto: Vandré Dubiela/Sou Agro

 

Notícias relacionadas

Ano de 2021 é muito delicado para oferta de milho, com safrinha atrasada

Atraso no plantio do milho ameaça setor produtivo

Milho: Ortigara faz apelo à ministra por compartilhamento de risco

Ministra deve responder nesta sexta se prorroga janela de plantio do milho

Ministra não se posiciona sobre alteração no zoneamento e frustra a cadeia produtiva

Plantio do milho 2ª safra no Paraná está em 45%

Área de plantio do milho chega a 28% no Paraná

Plantio da safrinha de milho atinge 50,3% no Centro-Sul do Brasil

 

 

 

 

 

 

 

Compartilhe em suas redes sociais:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.