Lácteos começam a esboçar reação em março

Compartilhar

 

Após quedas consecutivas entre o fim de 2020 e o início deste ano, os lácteos começam a esboçar reação em março. As indústrias reduziram as apostas no queijo muçarela, que vinha em franca desvalorização, voltando a produção a outros derivados que estavam com melhor desempenho no mercado.

Ou seja, a projeção é de que o valor de referência do leite padrão – usado como base na negociação entre produtores e a indústria – avance 1,78%, chegando a R$ 1,6045. Os números foram apresentados durante reunião do Conselho Paritário Produtores/Indústrias de Leite do Paraná desta terça-feira (23), por videoconferência.

 

Reação em março

Como os lácteos começam a esboçar reação em março, uma das chaves para a recuperação dos preços foi a mudança no mix de comercialização dos lácteos. Em dezembro, o muçarela respondia por mais de 50% dos produtos comercializados. Com os preços desse derivado despencando mês a mês, as indústrias reduziram a produção deste item, de modo que a participação do muçarela caiu para 43,7% do mix. Paralelamente, produtos como leite spot, UHT e leite em pó – que estavam com preços em valorização – ganharam espaço.

“Esse comportamento de mercado fez com que os sinais se tornassem positivos para praticamente todos os produtos. Se o setor vende mais um produto que tem maior capacidade de pagamento, isso colabora com o valor de referência”, disse a professora Vânia Guimarães, uma das responsáveis pelo levantamento. Conforme a análise de mercado, a reação dos produtos lácteos ocorreu principalmente ao longo das duas últimas semanas, sinalizando que poderá ter valores ascendentes nos próximos meses.

 

Desempenhos significativos

Outros dois derivados também obtiveram desempenhos significativos. Após sofrer desvalorização de 2,11% em fevereiro, o leite spot teve alta de 4,84% na parcial de março. Já o leite em pó tem cenário positivo, graças a supervalorização do produto no mercado internacional, o que deve trazer impactos nos preços do derivado aqui o Brasil.

 

VEJA TAMBÉM

 

Trigo de pastejo é alternativa para aumentar produção de leite

Bem-estar animal: certificação inédita a empresa cascavelense

Cai preço do leite pago ao produtor e CMN aprova financiamento

 

Fonte: FAEP

 

Foto: José Fernando Ogura/AEN

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.