Furto de animais é registrado no Oeste do Paraná

Compartilhar

 

#souagro | Você pecuarista já foi ou conhece alguém que tenha sido alvo de furto de animais na região? E ao se deparar com situações como essa, sabe o caminho que precisa ser percorrido para não enfrentar ainda mais problemas futuros? É pensando nisso e com base em um novo caso de furto de animais registrado há poucos dias em Lindoeste (ver texto abaixo) que o Portal Sou Agro conversou com a Supervisora Regional da Adapar (Agência de Defesa Agropecuária do Paraná) em Cascavel, para orientar sobre o procedimento a ser adotado em situações como essa.

A supervisora da unidade da Adapar em Cascavel, médica veterinária Odete Volz Medeiros, conta que todo o pecuarista precisa estar com o cadastro dos animais atualizado junto ao órgão. “Esse procedimento é feito obrigatoriamente duas vezes ao ano, nos meses de maio e novembro”, comenta ela.

Inicialmente, esse cadastro tornou-se obrigatório para fins do controle da vacinação contra a febre aftosa, com a comprovação do rebanho passando posteriormente a ser exigida pela Adapar. “Sem a comprovação do rebanho, não há como emitir a GTA (Guia de Transporte de Animais), sem contar as sanções que o produtor poderá sofrer por não atualizar o cadastro do plantel”, alerta a supervisora. A multa aplicada é de no mínimo 10 UPFs (Unidade de Padrão Fiscal do Paraná), hoje estabelecida em R$ 111,19, ou seja, no mínimo R$ 1.111,90. Porém, o valor depende de cada caso.

No caso de algum furto de gado, antes de mais nada o produtor deve procurar a delegacia mais próxima para fazer o registro do Boletim de Ocorrência. “Esse é o documento oficial comprobatório do furto e utilizado para dar a baixa do animal ou animais”. Caso contrário, ele pode ser ainda autuado pela falta de animais sem explicação.

 

Furto de bezerros em Lindoeste

Depois de mais de um ano sem registro de roubo de gado, a pacata Lindoeste, município da região oeste do Paraná com 5.361 habitantes e distante 43,7 quilômetros de Cascavel, voltou a ser alvo de ocorrências desta natureza. Foram dois roubos de bezerros, ocorrido há pouco mais de 10 dias, que já deixam em alerta os pequenos produtores e pecuaristas do município.

Os dois casos têm uma particularidade, de acordo com entrevista concedida ao Sou Agro pelo secretário de Agricultura e Meio Ambiente de Lindoeste, Matheus Lucas Mathias. Os roubos foram em áreas distantes da civilização e no período da noite. “Os roubos ocorreram bem distantes de propriedades, dificultando a localização dos autores, por isso, a participação dos produtores é fundamental para denunciar qualquer situação do gênero”, sugere o secretário.

Foram 3 bezerros executados e levados embora. Aumentar a vigilância nas propriedades seria uma das alternativas para coibir este tipo de prática criminosa. Os roubos ocorrem nos pastos, nas mangueiras localizadas às margens das estradas rurais. Os casos foram na Linha Verdun, mais perto da cidade e na comunidade de Vitória, mais distante do perímetro urbano. (Vandré Dubiela)

Clique aqui e receba notícias do agronegócio em seu celular

Se conecte com nossas redes sociais:

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2021 Sou Agro | CNPJ: 39.541.312/0001-48 — Todos os direitos reservados.

Sou Agro

AD BLOCKER DETECTED

Percebemos que você tem um adblocker habilitado que restringe os anúncios veiculados no site.

Please disable it to continue reading Sou Agro.